Mediação Imobiliária

E&V regista volume de negócios recorde de €168M

Ana Tavares |
E&V regista volume de negócios recorde de €168M
E&V

No ano passado, a Engel & Völkers registou um volume de negócios de 168 milhões de euros, o maior registo de sempre da rede em Portugal, acima dos 107 milhões de euros registados em 2019.

Em 20021, o preço médio das propriedades vendidas pela rede alemã ultrapassou os 510.000 euros, mais 8,6% que no ano anterior.

Também o volume de negócios do arrendamento subiu 78% face ao ano anterior, para cerca e 1,9 milhões de euros.

A rede considera que este desempenho espelha a forte recuperação do mercado premium e também o investimento da rede em Portugal. Juan-Galo Macià, CEO da Engel & Völkers para Espanha, Portugal e Andorra, comenta em comunicado que «no último ano, assistimos a uma forte recuperação da procura por imóveis de qualidade, não só nas grandes áreas urbanas, mas principalmente no litoral e no interior do país. Acreditamos muito no potencial do mercado português e temos vindo a investir significativamente na formação dos consultores, no desenvolvimento tecnológico e no crescimento da rede de franchisados nas zonas premium do país».

O responsável completa ainda que «a nossa força de vendas foi capaz de absorver a elevada e sustentada procura de propriedades de qualidade durante o último ano e tornar estes números possíveis. As boas equipas prosperam na adversidade e esta pandemia demonstrou a força da Engel & Völkers Portugal».

A rede tem vindo a sentir «uma grande procura de imóveis de qualidade não só nos centros urbanos como também na costa e no interior e, por isso, o nosso objetivo é também aumentar a carteira de imóveis. Em Portugal, por exemplo, para as 2.332 propriedades ativas temos 32.500 clientes que procuram a melhor oportunidade, o que dá uma média de aproximadamente 14 clientes por propriedade».

Expandir a rede de colaboradores é também um dos objetivos para 2022. «Hoje contamos com cerca de 200 consultores que operam a marca em Portugal. Para este ano, dada a grande procura existente só em Lisboa, onde contamos com 78 consultores, o objetivo é duplicar o seu número para poder garantir um melhor serviço e cumprir as expectativas dos nossos clientes. Afinal, esta é a nossa prioridade», completa Macià.