JLL

JLL quer "cortar" mais de dois terços das emissões de C02

Susana Correia |
JLL quer "cortar"  mais de dois terços das emissões de C02

Alinhada com a ambição formada no Acordo de Paris, em manter o aumento médio das temperaturas do planeta abaixo dos 1,5ºC, esta nova meta compromete a JLL a reduzir as suas emissões de carbono de âmbito 1 e 2 em 68% até 2034, tendo 2018 como ano base. O objetivo abrange as emissões de carbono dos mais de 400 escritórios ocupados globalmente pela JLL em 40 países, além das instalações geridas pela consultora e a gestão de frotas e mobilidade, incluindo os carros da empresa.

A JLL também se comprometeu a reduzir as emissões de âmbito 3 dos imóveis que gere para os seus clientes em 53% por pé quadrado (sq. foot) no mesmo período.

«À medida que o mundo navega na pandemia do coronavírus, dando resposta a necessidades imediatas e tentando construir um caminho para a recuperação, é vital não perdermos o foco nos riscos globais de longo-prazo trazidos pelas alterações climáticas. Apesar das quedas temporárias nas emissões de carbono, 2020 continua a ser um ano crítico para a ação climática», lembrou Christian Ulbrich, CEO da JLL.

O líder da consultora explicou que «a nossa ambiciosa meta é estabelecida com base em princípios científicos e pretende cortar as emissões de carbono geradas nas nossas próprias operações em quase 70%. Além disso, estamos a investir em dar escala às nossas ferramentas, competências e conhecimentos especializados para ajudar os clientes a também reduzirem as suas emissões e cumprirem os objetivos de sustentabilidade».

Para a alcançar, foram definidas quatro linhas de ação ao nível das emissões de âmbito 1 e 2: ocupar novos espaços de escritórios altamente eficientes e apostar na eficiência energética no portfólio de escritórios já existentes da JLL; reduzir as emissões das frotas automóveis da JLL, passando a optar por veículos elétricos, de baixa emissão e combustíveis alternativos; utilizar energia renovável no portfólio de escritórios da JLL e, sempre que a energia renovável não esteja disponível, adquirir certificados de energia renovável.

Relativamente às reduções de âmbito 3 determinadas pela SBT, a meta será atingida através de parcerias com os 50 principais clientes, focando-se na eficiência energética e em programas de redução de emissões.

Adicionalmente, a através do seu programa global de sustentabilidade Building a Better Tomorrow, «a empresa já alcançou - ou está prestes a alcançar – todos as metas de sustentabilidade estabelecidas nos quatro pilares que sustentam a sua estratégia: Clientes, Pessoas, Espaços de Trabalho e Comunidades», informa ainda a JLL, acrescentando que no ano passado os seus profissionais da área da sustentabilidade trabalharam com mais de 90% dos 50 maiores clientes para implementar melhorias de sustentabilidade nos seus portfólios.

No ano passado, a JLL alcançou também o primeiro standard de dupla platina em edifícios no seu escritório de Xangai no HKRI Taikoo Hui. A esta distinção seguiu-se uma nova conquista do escritório da JLL em Hong Kong no One Taikoo Place, que recebeu a pontuação mais alta na cidade em design de ambiente e energia.