Habitação

Avaliação bancária subiu para €1429 em setembro

Felipe Ribeiro |
Avaliação bancária subiu para €1429 em setembro

Em setembro, o valor mediano de avaliação bancária foi de 1429 euros, um valor superior ao registado no mês precedente (+ 15 euros). A taxa de variação fixou-se em 15,6% em termos homólogos.

Assim, setembro é o quarto mês que regista, de forma consecutiva, uma redução no número de avaliações bancárias consideradas – situa-se em cerca de 26 mil, o que corresponde a uma diminuição de 8,7% face mesmo período do ano anterior e menos 22,0% que em maio último, mês em que se registou o máximo da série, indica o INE.

O valor mediano de avaliação bancária, realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, fixou-se em 1429 euros por metro quadrado, no mês em análise, um aumento de 1,1% face a agosto. O maior aumento face ao mês anterior registou-se na Região Autónoma da Madeira (1,1%) e a única descida verificou-se na Região Autónoma dos Açores (-0,6%).

De acordo com os dados do INE, o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi de 1 591 euros/m² no mês de setembro, um aumento de 16,2% face a setembro de 2021. Os valores mais elevados foram observados no Algarve (1 949 euros/m²) e na Área Metropolitana de Lisboa (1 888 euros/m²), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (1 024 euros/m²). A Região Autónoma dos Açores apresentou o crescimento homólogo mais expressivo (27,2%), tendo a Região Autónoma da Madeira apresentado o menor (7,3%).

Já o valor mediano da avaliação bancária das moradias, no mês em análise, foi de 1 136 euros/m², correspondente a um aumento de 13,8% face a setembro do ano anterior. Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (2 019 euros/m²) e na Área Metropolitana de Lisboa (1 961 euros/m²), tendo o Alentejo e o Centro registado os valores mais baixos (907 euros/m² e 923 euros/m², respetivamente). O Algarve apresentou o maior crescimento homólogo (24,4%) e o menor ocorreu na Região Autónoma dos Açores (7,4%).