SottoMayor Residências vai render €70M à Coporgest

Ana Tavares |
SottoMayor Residências vai render €70M à Coporgest

 

A empresa portuguesa inaugurou esta semana aquele que considera «o maior projeto de reabilitação residencial dos últimos 15 anos em Lisboa», no qual investiu 60 milhões de euros, e que deverá gerar vendas brutas de 70 milhões de euros.

O SottoMayor Residências é constituído por 97 apartamentos, 90 deles já comercializados, resultado da composição de 4 edifícios, três deles reabilitados, e um construído de raiz com 10 frações destinadas a alojamento local, sob a marca própria Lisbon Best Apartments.

Os ativos foram comprados à empresa dona dos antigos Hotéis Real em 2013, em elevado estado de degradação. No conjunto edificado, contam-se 26.400 m² de área bruta de construção, dos quais 16.300 m² acima do solo e 44.000 m³ de escavação.

Sérgio Ferreira, presidente da Coporgest, comenta que «os números envolvidos no empreendimento traduzem a importância desta obra de arquitetura e engenharia que devolve à cidade um património único. Estes serão seguramente os melhores prédios de rendimento e habitação no centro de Lisboa, constituindo um investimento imobiliário seguro, com elevados padrões de qualidade».

Os apartamentos T0 a T5 têm um preço médio por metro quadrado em torno dos 7.000 euros, segundo a Coporgest. 10% dos compradores até agora são portugueses, e os restantes maioritariamente brasileiros e turcos. As vendas só se iniciaram com data definida para conclusão do projeto.

 

Novos projetos somam os 89 milhões

Atualmente, a Coporgest tem em pipeline outros projetos de reabilitação em Lisboa, de onde «não queremos sair», que somam um investimento previsto de 89 milhões de euros.

É o caso dos edifícios Duques de Bragança, Ivens 30 e Lisbon Chiado Hotel (todos no Chiado), Liberdade Premium Apartments (Avenida da Liberdade), SottoMayor Premium Apartments (Marquês de Pombal, composto por 4 edifícios) e o Palácio do Patriarcado (Campo Mártires da Pátria, composto por 3 edifícios).

O Lisbon Chiado Hotel vai marcar a estreia da empresa na área da hotelaria, impulsionada pela melhor adequação deste ativo em particular ao uso hoteleiro. Terá 5 estrelas e uma marca própria, num investimento de 14 milhões de euros.

 No ano passado, a empresa somou um volume total de negócios de 10,7 milhões de euros, valor que este ano deverá ser de 62,4 milhões de euros.