Lisboa

Rede ciclável de Lisboa vai duplicar no próximo ano

Ana Tavares |
Rede ciclável de Lisboa vai duplicar no próximo ano

O anúncio foi feito esta semana pela Câmara Municipal de Lisboa, que apresentou o programa “Lisboa Ciclável”, que prevê a construção de um conjunto de ciclovias e a atribuição de apoios para a compra de bicicletas, para um contexto pós-Covid com menos poluição.

O objetivo da autarquia é «criar alternativas de mobilidade» em contexto de pandemia, que pode afastar muitos do transporte público.

«Se assistirmos de braços cruzados à transferência do transporte coletivo para o individual será péssimo para todos», afirmou o autarca, Fernando Medina, na apresentação do programa.

«O programa Lisboa Ciclável passa pela criação de uma rede estruturante de ciclovias que cobre os grandes eixos de deslocação», criada num sistema “pop up”, podendo depois ser avaliada e sofrer alterações, cita o Negócios. Até porque, segundo a autarquia, 68% das deslocações feitas pelos Lisboetas são inferiores a 5 km, e a velocidade média dos carros em hora de ponta é de 13 km/hora.

Até ao final do primeiro trimestre de 2021, Lisboa terá cerca de 200 quilómetros de ciclovias, se tudo correr como o previsto. O projeto vai desenvolver-se em três fases, a primeira terminando já em julho deste ano, com 26 novos quilómetros de ciclovia.

Até esse mês, a CML quer ter prontas novas ciclovias na Alameda dos Oceanos, com ligação a Loures, e na Avenida da Índia, ficando «construído o eixo que vai ligar Algés ao Parque das Nações», entre outras.

Até setembro, deverão ser concluídas as intervenções na Avenida de Roma, Marechal Gomes da Costa, Conde de Almoster, ou avenida de Berna, num total de 30 quilómetros.

Até ao primeiro trimestre do próximo ano, deverão ficar concluídos mais 20,5 quilómetros, incluindo troços na Avenida Gago Coutinho, Restelo, da Torre de Belém ou Carlos Paredes.

 

Compra de bicicletas terá apoio de €3M

A CML pretende também apoiar a compra de bicicletas até ao limite de 50% do valor de aquisição em várias modalidades.

O limite do apoio será de até 100 euros para bicicletas adquiridas por estudantes das escolas de Lisboa, de 350 euros para as bicicletas elétricas dos residentes em geral, e até 500 euros para bicicletas de carga. «Quem adquirir bicicletas a partir de hoje está elegível, por isso guardem as faturas», avisou Medina.