Schneider Electric: “Futuro da energia será a gestão com suporte digital”

Ana Tavares |
Schneider Electric: “Futuro da energia será a gestão com suporte digital”

 

Sem divulgar números, de acordo com João Rodrigues, responsável da Schneider em Portugal, «o turismo, a renovação urbana e a modernização industrial foram os principais drivers» para este crescimento. Atualmente, «o mercado nacional tem vindo a recuperar preponderância».

Falando no almoço anual da empresa com jornalistas, João Rodrigues alertou para o facto de que em 2020 teremos 30 biliões de dispositivos ligados, numa altura em que há uma «necessidade enorme de consumo energético e um aumento do mundo digital». A Schneider propõe-se a contribuir para «melhorar o posicionamento das organizações», tendo sempre em vista a sustentabilidade. Até porque até 2030 toda a energia consumida pela Schneider Electric será renovável.

 

Ecostruxure é a aposta dos próximos anos

A plataforma Ecostruxure é um dos grandes focos da Schneider Electric para os próximos anos, «um trabalho a longo prazo durante todo o ciclo de vida da instalação», que permite «uma enorme comunidade de parceiros».

A plataforma pretende ser «a espinha dorsal digital que liga as melhores soluções de OT às novidades mais recentes da tecnologia de TI» para que as empresas possam tirar o melhor partido das suas operações e do «verdadeiro potencial da “Internet of Things”».

Baseia-se nos 6 pilares “Building”, “Power”, “Data Center”, “Machine”, “Plant” e “Grid”. Adaptada aos edifícios e à sua gestão, permite ligar numa só ferramenta todas estas áreas, e tem sido bem sucedida «em todos os setores de atividade», atesta João Rodrigues.