Habitação

MatosinhosHabit termina 2019 com execução acima de 80%

Ana Tavares |
MatosinhosHabit termina 2019 com execução acima de 80%

De acordo com o Relatório de Gestão e Demonstração Económico-Financeira da MatosinhosHabit de 2019, foram finalizados 35.397 atendimentos totalizados. Um ano em que a prioridade se centrou na exploração e definição da Estratégia Local de Habitação, desenvolvida em estreita colaboração com o Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana, e que levou à concretização da aprovação da candidatura ao programa 1º Direito.

Tiago Maia, administrador da entidade, comenta que «estes números fazem alimentar a ambição de continuarmos o trajeto de sucesso que a MatosinhosHabit obteve no ano passado, para o ano de 2020. Durante este ano queremos manter os desafios a que nos propusemos, continuando com o mesmo arrojo e eficiência que temos mantido até aqui, quer através dos nossos serviços quer através da proximidade e do apoio à população do nosso concelho».

O responsável destaca que «em 2019 reforçámos as políticas habitacionais, através da reorganização da gestão do parque habitacional, encontrando mais soluções para uma das principais preocupações dos meios urbanos: a ausência de oferta de residência condigna, com valores adequados aos orçamentos familiares. Por outro lado, construímos também as bases para uma resposta habitacional assertiva e para o desenvolvimento de relações positivas e de confiança com os munícipes».

Adicionalmente, a MatosinhosHabit desenvolveu vários projetos de reabilitação urbana, manutenção de fogos e recuperação de habitações devolutas, destinadas a novos realojamentos. A estas iniciativas, juntam-se ainda a aprovação de candidaturas a fundos comunitários com o objetivo de proporcionar uma melhoria e modernização significativas dos conjuntos habitacionais do concelho. 

No âmbito do Plano de Atividades para 2019, a MatosinhosHabit também implementou novos projetos de base comunitária, alargando o âmbito da sua atuação em áreas tão diversas como a sustentabilidade ambiental, cidadania, acesso cultural e desportivo ou dinâmicas familiares e sociais, envelhecimento ativo e gestão do espaço público.