Remax

Volume de negócios da Remax Collection sobe 15,4% em 2019

Ana Tavares |
Volume de negócios da Remax Collection sobe 15,4% em 2019

A imobiliária de luxo registou um total de 4.233 transações, mais 24,9% face a 2018.

A tipologia mais procurada em 2019 foram os apartamentos, que representaram 79,7% do volume de transações do segmento premium e 65,8% do total de volume de negócios. Os T2 e T3 representaram um total de 66,2% das transações do ano. Perdem importância os T0 ou T5 e superiores.

Segundo a Remax Collection, os portugueses foram os principais compradores, representando 53,3% das transações, mas o investimento internacional aumentou. Clientes brasileiros, chineses e franceses têm um peso cada vez maior, com quotas de 10%, 5,7% e 5,5%, respetivamente.

Beatriz Rubio, CEO da Remax, comenta que «o crescimento do segmento de luxo no setor imobiliário é um importante indicador de vitalidade do mercado. Ao contrário do que muitas vezes se pensa, são os portugueses quem mais investe neste segmento, quer porque querem melhorar a sua qualidade de vida, quer porque reconhecem no imobiliário uma opção segura de investimento».

Em 2019, o distrito de Lisboa representou 83,5% do volume de negócios e 82,9% das transações. O Porto ganha relevo, representando 5,6% do total. Faro, Setúbal, Madeira e Coimbra encerram o top dos principais destinos.

A Remax Collection é a imobiliária que mais imóveis de luxo vende no país há 5 anos. Beatriz Rubio comenta que a marca «continua a ser a principal opção para quem pretende comprar um imóvel de luxo, pela amplitude da sua oferta, capilaridade e formação de uma equipa de consultores especializados neste segmento. Isto reflete-se também nos investidores internacionais que veem em Portugal um país de eleição para viver e, inclusive, uma aposta para investir em ativos de imobiliário de excelência».