Startup Sherlock quer ter 5% do mercado daqui a 3 anos

Ana Tavares |
Startup Sherlock quer ter 5% do mercado daqui a 3 anos

A empresa fundada por quatro ingleses em Lisboa chega ao mercado com uma taxa fixa de 3.999 euros para a venda de imóveis, que compara com as comissões geralmente cobradas no mercado de 5%, prometendo uma poupança média aos vendedores de cerca de 12.000 euros. Em 2022, a empresa quer ter uma quota de 5% do mercado nacional, numa poupança anual «de cerca de 35 milhões de euros anuais para os vendedores», refere em comunicado de imprensa.

Até ao final deste ano, a Sherlock quer estar a operar na Grande Lisboa, Porto, Cascais e Algarve, alargando os seus serviços ao resto do país «nos próximos meses», cita o Negócios. A partir de 2020, deverá operar também no sul da Europa.

A Sherlock oferece também uma «ferramenta de inteligência artificial de avaliação instantânea de propriedade para vendedores», a MySherlock, que será «o fio condutor para o processo para os compradores e vendedores», cita o Idealista.

Trata-se de um «novo modelo de agência imobiliária baseado em tecnologia» que está a «conquistar o mundo e irá trazer muitos benefícios: preços mais baixos e um nível muito mais elevado em satisfação de cliente», comenta Chris Wood, um dos fundadores da empresa.

«Estamos muito contentes por anunciar o nosso lançamento oficial com a nova ferramenta de inteligência artificial de avaliação instantânea que estamos a criar em resposta ao elevado nível de exigência para uma mais rápida e eficiente forma de avaliar a casa», comenta Philip Ilic, também fundador.