Habitação

Rendas de habitação aumentaram 42,1% nos últimos 10 anos

Ana Tavares |
Rendas de habitação aumentaram 42,1% nos últimos 10 anos

Nos últimos 10 anos, o valor médio da renda mensal de habitação em Portugal aumentou cerca de 42% para 334 euros em 2021, que comparam com os 235 euros de 2011, mostram os dados definitivos dos Censos 2021.

De acordo com o INE, a Área Metropolitana de Lisboa regista os valores mais altos, com um valor médio mensal de 403 euros. Por oposição, o Alentejo tem as rendas médias mais baixas, com um valor médio de 261 euros por mês.

Os Censos 2021 mostram também que o número de alojamentos arrendados subiu 16% nos últimos 10 anos, e representa agora 22,3% do total dos alojamentos ocupados. Ainda assim, a grande maioria das habitações permanentes são ocupadas pelos proprietários, num total de 70%.

A região Centro tem a maior percentagem de alojamentos ocupados pelo proprietário (77,3%), e a percentagem de arrendamentos mais baixa (15,8%). A Área Metropolitana de Lisboa destaca-se por ser a região com mais expressão do regime de arrendamento, com 29,1% dos alojamentos ocupados por arrendatários.

Em 2021, contabilizavam-se cerca de 3,6 milhões de edifícios e 6 milhões de fogos destinados a habitação, aumentos de 0,8% e 1,7% face a 2011, respetivamente. Segundo o INE, «o crescimento do parque habitacional entre 2011 e 2021 é significativamente inferior ao verificado na década anterior, quando os valores se situavam na ordem dos 12% para edifícios e os 16% para alojamentos».