Arrendamento

Rendas dos novos arrendamentos aumentaram 10% em Lisboa e Porto

Felipe Ribeiro |
Rendas dos novos arrendamentos aumentaram 10% em Lisboa e Porto

Registou-se um aumento trimestral de 10%, tanto em Lisboa como no Porto, nas rendas dos contratos de arrendamento residencial celebrados entre os meses de julho e setembro.

De acordo com o Índice de Rendas Residenciais, dados apurados pela Confidencial Imobiliário que constatam o comportamento do mercado de arrendamento residencial, tendo por base as rendas dos novos contratos realizados, em Lisboa as rendas dos novos contratos estão a subir desde meados de 2021, com variações trimestrais superiores a 2,5%, que agora sobem para os 10%. De mencionar que as rendas vinham a cair há quase dois anos na capital.

Esta trajetória tem tido um forte impacto na intensificação da variação homóloga das rendas, indica a CI, de tal forma que este indicador passou de terreno negativo (-6,0%) no 3º trimestre de 2021 para 23% no 3º trimestre deste ano.

Na Invicta, a «trajetória é semelhante, exibindo apenas um pequeno desfasamento temporal», refere o avaliador imobiliário. A recuperação das rendas de habitação no Porto iniciou-se no final de 2021, sucedendo a um ano de quebras: desde então, as variações trimestrais foram sempre acima dos 3,5%, atingindo este máximo assinalável de 10% e igualmente culminando na aceleração expressiva das variações homólogas.

As rendas na cidade do Porto registavam uma descida homóloga de 2% no final do ano passado, em forte contraste com o aumento homólogo de 24% observado no 3º trimestre deste ano.

Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial, reitera que «nunca antes em qualquer destas cidades se verificou um aumento trimestral de tal magnitude. O timing deste aumento na atual conjuntura e o facto de se verificar em simultâneo nos dois mercados, sugere uma tomada de posição dos proprietários em relação ao limite de atualização das rendas para o próximo ano. Este aumento trimestral inédito de 10% poderá ser uma forma de cobrir a inflação por via dos novos contratos, antecipando as perdas que possam decorrer da impossibilidade de o fazer nos contratos vigentes devido ao tectos impostos à atualização das rendas».

Os novos arrendamentos concretizados em Lisboa entre julho e setembro atingiram uma média de 16,8€/m² e, no Porto, os 12,6€/m². Em qualquer caso são níveis inéditos, de acordo com o SIR-Arrendamento, que acompanha as rendas praticadas em cada momento em ambos os mercados.