Arrendamento

Rendas descem 16,8% em Lisboa para níveis de 2017

Ana Tavares |
Rendas descem 16,8% em Lisboa para níveis de 2017

As rendas habitacionais voltam a registar uma descida acentuada no quarto trimestre do ano, descendo 4,8% face ao trimestre anterior, e 16,8% face ao período homólogo.

De acordo com o Índice de Rendas Residenciais, apurado com base as rendas dos novos contratos realizados, e agora divulgado pela Confidencial Imobiliário, este foi o quarto trimestre consecutivo em que as rendas de Lisboa registaram uma descida, travagem que levou o nível dos preços a patamares que tinham sido registados pela última vez em meados de 2017.

A Ci recorda que as rendas em Lisboa têm vindo a desacelerar desde o final de 2018, descendo pela primeira vez no terceiro trimestre de 2019. A primeira descida homóloga aconteceu no primeiro trimestre de 2020, com a pandemia a intensificar as descidas dos preços a partir daí. No início do ano as rendas desciam 1,8% em termos homólogos, e 2,3% em termos trimestrais.

Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, comenta em comunicado de imprensa que «um dos fatores a influenciar esta descida nas rendas contratadas é o aumento da oferta para arrendamento na cidade». Explica que «entre início e final do ano, o número de fogos disponíveis para arrendar em Lisboa aumentou 40%, sobretudo refletindo a migração de habitações oriundas do Alojamento Local».

Outra razão para a descida das rendas, segundo o especialista, «é o facto de o perfil financeiro da procura estar a mudar. Num contexto em que o driver do uso turístico e do arrendamento de curto-prazo estão suspensos devido à pandemia, a procura tende a aumentar por via dos portugueses, pelo que as rendas também acabam por ter de se ajustar ao rendimento das famílias, obrigando, assim, à prática de rendas inferiores».

O responsável conclui ainda que «o mercado de arrendamento é um mercado de refúgio para os investidores e estes estão dispostos a assumir uma descida das rendas neste momento, embora não encarem esse comportamento como definitivo e tenham expetativa de que o mercado retorne os níveis anteriores».

Rendas descem 4,5% no Porto e -0,7% no país

Já na Invicta, os preços das rendas desceram 4,5% no trimestre, face a igual período de 2019. É a primeira vez que os preços das novas rendas contratadas descem no Porto desde o final de 2015, em termos homólogos. Segundo a Ci, a variação trimestral foi de -3,2%.

Por outro lado, no total do mercado nacional (Portugal Continental), as rendas contratadas para a habitação registaram uma tendência de estabilização no último trimestre de 2020, numa variação de -0,6% em termos trimestrais e de -0,7% em termos homólogos.