Proptech Tiko estreia-se em Portugal com a compra de ativo em Lisboa

Susana Correia |
Proptech Tiko estreia-se em Portugal com a compra de ativo em Lisboa

Com presença em Madrid, Sevilha, Málaga e Barcelona, a empresa liderada por Ana Villanueva quer começar a operar no mercado português este ano, planeando a abertura de um novo escritório em Lisboa. Trata-se da primeira incursão internacional da empresa, que traçou como meta chegar a dez cidades europeias em 2021, antecipando em dois anos os objetivos estratégicos inicialmente traçados para 2023.

O modelo de negócio da proptech assenta na venda de imóveis a particulares num prazo máximo de sete dias, após disponibilizar um orçamento aos proprietários em 24 horas. O valor final é calculado através de big data antes de realizar uma inspeção técnica e legal do andar.

A Tiko arrancou em Madrid em 2017 e atualmente é responsável por perto de 1% das transações imobiliárias concretizadas na capital espanhola, refere o diário espanhol Eje Prime. No início de 2019 chegou a Barcelona e a Málaga, onde perspetiva atingir o mesmo volume já registado em Madrid dentro de seis meses.

Em 2019, a Tiko rececionou 12.000 pedidos de orçamento em Madrid, o que Villanueva diz representar cerca de 9% das transações realizadas na capital espanhola, numa cifra que espera também atingir em Barcelona e Málaga durante 2020.

Sem revelar valores, a Tiko informou que no ano passado triplicou a sua faturação em relação a 2018. Entretanto, conseguiu levantar 42 milhões de euros em rondas de financiamento, tanto em dívida como em equity, e prevê realizar novas rondas durante este ano. Atualmente, a Tiko conta com investidores como a Rocket Internet, Cabiedes ou o Btov.