Hotelaria

Primeiro trimestre regista 9,7 milhões de dormidas

Felipe Ribeiro |
Primeiro trimestre regista 9,7 milhões de dormidas

A atividade turística no mês de março, em Portugal, registou 1,6 milhões de hóspedes, responsáveis por cerca de 4 milhões de dormidas, conferindo assim um aumento de 464% e 543%, respetivamente, face a igual mês do ano passado, de acordo com o INE.

Apesar deste aumento, de salientar que os níveis atingidos são inferiores aos registados antes da pandemia, com reduções de 15,3% nos hóspedes e 12,7% nas dormidas face a março de 2019.

No que ao mercado interno diz respeito, houve uma contribuição de 1,3 milhões de dormidas, enquanto que o mercado externo totalizou um valor de 2,7 milhões de dormidas. Ainda assim, comparando com o mês de março de 2019, registaram-se diminuições de -3,6% no caso dos residentes e de -16,5% nos não residentes.

De acordo com o INE, os proveitos dos estabelecimentos de alojamento turístico atingiram, no total, 233,9 milhões de euros, sendo que 168,8 milhões de euros dizem respeito ao aposento, o que confere um decréscimo de 5,8% nos proveitos totais e os relativos a aposento, face a março de 2019.

De salientar que, o rendimento médio por quarto ocupado (ADR), atingiu 74,3 euros em março, um aumento de 4,4% face a março de 2019.

Na totalidade do trimestre, as dormidas totais aumentaram 398,5% (+176,2% nos residentes e +845,6% nos não residentes). Já no que diz respeito às dormidas, houve um decréscimo de 18,8% (-1,6% nos residentes e -26,4% nos não residentes), ao comparar com o mesmo período de 2019. Os proveitos registaram também, neste período, crescimentos de 536,4% no total e 509,2% relativos a aposento.

Assim sendo, no primeiro trimestre do ano, assinalaram-se 3,9 milhões de hóspedes e 9,7 milhões de dormidas, valores que correspondem a crescimentos de 356,6% e 346,8%, respetivamente.