Habitação

Preços da habitação descem 1,8% em Lisboa

Ana Tavares |
Preços da habitação descem 1,8% em Lisboa

A subida dos preços das casas está a abrandar em Lisboa. O município registou uma variação homóloga do preço mediano por metro quadrado de -1,8% no 3º trimestre de 2020 (últimos 3 meses).

A capital destacou-se também por registar o menor crescimento homólogo dos preços no 3º trimestre (últimos 12 meses), de 5,3%, entre as cidades com mais de 100.000 habitantes. Verifica-se, assim, uma desaceleração do crescimento homólogo dos preços desde o 4º trimestre de 2018. Face ao trimestre anterior, os preços desceram -1,7% em Lisboa, a menor do conjunto. Ainda assim, no trimestre o município de Lisboa registou o preço mediano mais elevado do país, de 3.375 euros/m².

Entre julho e setembro de 2020 (últimos 3 meses), o preço mediano dos alojamentos familiares fixou-se nos 1.168 euros/m² para o total nacional. Trata-se de uma descida trimestral de -1,6%, e uma subida homóloga de 7,6% face a igual período de 2019.

Segundo o INE, a passagem da variação homóloga de 9,4% no 2º trimestre para 7,6% no 3º mostra uma desaceleração do ritmo de crescimento dos preços da habitação, tal como no trimestre anterior.

Os preços evoluíram de forma heterogénea em todo o território. Em 12 regiões, a desaceleração dos preços entre o 2º e o 3º trimestre foi mais evidente que a verificada para o geral do país. É o caso da Amadora (-9,3%), de Cascais (-8,9%) ou de Lisboa (-8,1%).

Em 9 regiões, os preços subiram, como Almada (12,5%), Porto e Funchal (ambos com uma variação de 10,5%). Estes foram os maiores ritmos de crescimento dos preços entre o 2º e o 3º trimestre de 2020.

No terceiro trimestre (últimos 12 meses), o preço mediano dos alojamentos familiares em Portugal foi de 1.160 euros/m², mais 2% que no trimestre anterior e mais 10,1% que no trimestre homólogo. Este valor foi de 1.711 euros/m² no Algarve, 1.586 euros/m² na AML e de 1.192 euros/m² na AMP.

Na comparação com o trimestre homólogo, Vila Nova de Gaia foi a cidade que registou o maior crescimento, de 13% (acima dos 10,1% do total nacional). Destaque também para a Amadora, com uma subida de 12%, e para o Porto, com um crescimento de 11,9%, que também se destaca pela maior variação trimestral, de 5,8%.

Preços descem em 6 freguesias de Lisboa

6 das 24 freguesias de Lisboa registaram uma descida homóloga dos preços da habitação no terceiro trimestre do ano.

Destaque para a Ajuda (-8,1%), São Vicente (-4,9%), Beato (-3,6%) e Marvila (-2,8%) e, apesar de terem preços superiores aos da cidade, Campo de Ourique (-5,6%) e Avenidas Novas (-4,6%).

Subidas a dois dígitos no Porto

Pelo contrário, no Porto os preços continuaram a crescer, com o valor da cidade a subir 11,9% face a igual trimestre de 2019.

Os preços subiram em todas as freguesias, nomeadamente na União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde (15,5%), e União de freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos e a União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória (ambas com uma subida de 15,3%). Ramalde, Bonfim e Campanhã registaram subidas homólogas entre os 4,1% e os 10,9%, e Paranhos teve a maior subida do conjunto, de 17,9%.