Habitação

Preço das casas supera em 40% valor da avaliação imobiliária

Felipe Ribeiro |
Preço das casas supera em 40% valor da avaliação imobiliária

Em 2021, segundo uma análise efetuada pela unidade de research da BA&N, citado pelo Observador, o preço das casas aumentou 9,4%, no entanto as avaliações mantêm-se abaixo dos valores de mercado, indiciando que em Lagos e Lagoa a discrepância é superior aos 40%.

Ainda em 2021, o preço médio por metro quadrado atingiu os 1.355 euros, o que equivale a uma subida de 9,4%, sendo que o valor dos alojamentos transacionados no decorrer do ano passado ascenderam a 28,1 mil milhões de euros, mais 31,1% do que em 2020.

De acordo com nota do estudo «esta dinâmica tem sido acompanhada por um crescimento acentuado do financiamento bancário para a compra de habitação, sendo que nem sempre as avaliações exigidas pelos bancos para concederem estes empréstimos estão a acompanhar a evolução sentida», acrescentando ainda que «há concelhos em que os valores das habitações transacionados superam em muito aquele que é, em teoria, o valor real».

Correlacionando com os dados de avaliação bancária e dos preços da habitação divulgados pelo INE, referentes ao final de 2021, de acordo com a avaliação dos peritos há «uma sobrevalorização dos imóveis no momento da transação que a nível nacional é de 5,4%», refere o BA&N.

No quarto trimestre de 2021, o preço por metro quadrado da avaliação bancária foi de 1.285 euros, a passo que o preço médio de venda ascendeu a 1.355 euros por metro quadrado.

Posto isto, a aprovação dos créditos às famílias torna-se muito mais, nota o estudo, lembrando que os bancos usam a avaliação para calcular o valor do empréstimo a conceder, «havendo uma avaliação favorável, aplica-se o limite dos 90% do valor do imóvel, o que faz com que o comprador tenha de avançar com apenas 10% do preço a pagar, mas, considerando os diferenciais existentes atualmente, há situações em que quem pede o empréstimo poderá ter de entregar até 40% do valor da compra», segundo o estudo.

A região do Algarve apresenta os preços de transação mais elevados, com o preço médio do metro quadrado de compra na ordem dos 2.114 euros no final de 2021, face a 1.731 euros médios da avaliação. Nos concelhos de Lagoa e de Lagos o diferencial entre o preço pago pelos imóveis e o valor atribuído pelos peritos nas casas avaliadas encontra-se na órbita dos 42%.

Em Lisboa, a diferença entre um preço e outro é de 16%, por vias de um preço de venda médio de 3.723 euros por metro quadrado e de um valor médio de avaliação de 3.215 euros.

As avaliações situam-se acima dos preços de transação nas regiões Centro e Alentejo: no primeiro caso, os imóveis são avaliados a 904 euros por metro quadrado e os negócios a um valor de 896 euros, já no Alentejo os valores são de 867 e 800 euros, respetivamente.