Estudos

Portugal é o 5º país com maiores previsões de contratação na região EMEA

Felipe Ribeiro |
Portugal é o 5º país com maiores previsões de contratação na região EMEA

A procura por trabalhadores permanece em níveis elevados, apesar dos obstáculos atuais como o conflito na Ucrânia e o aumento da inflação – 41% dos empregadores nacionais afirmam que têm intenções de aumentar as suas equipas neste último trimestre do ano.

Os dados fornecidos pelo ManpowerGroup Employment Outlook Survey, projetam uma Criação Líquida de Emprego de +31%, para o quarto trimestre de 2022: Portugal é o segundo país na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) com um maior aumento anual deste valor, e o 5º país com maiores previsões de contratação na região EMEA para o último trimestre.

«Apesar da incerteza económica e geopolítica, as intenções de contratação dos empregadores portugueses continuam fortes e a luta pelo talento acentuada pós-pandémica tem suportado o crescimento do PIB, face a 2021, e impulsionado as contratações, com a taxa de desemprego a fixar-se nos 5,9%, no passado mês de julho, e o número de inscritos no IEFP a atingir o valor mais baixo de sempre». considera Rui Teixeira, Diretor Geral do ManpowerGroup Portugal.

Recuperação dos setores e projeções de contratação mais ambiciosas

Dos empregadores dos 11 setores analisados no estudo do ManpowerGroup, que se realiza em Portugal desde 2016, 10 deles esperam aumentar as suas equipas no último trimestre de 2022. Tanto o setor do Comércio Grossista, como o Retalhista, são os que verificam perspetivas mais positivas, com uma projeção de +46%. Este setor apresenta também o crescimento mais acentuado face ao trimestre anterior, com mais 17 pontos percentuais, bem como um aumento considerável, de 33 pontos percentuais, face ao mesmo período do ano passado.

Perspetiva-se também uma atividade de contratação elevada no setor Industrial, com uma projeção próspera de +34%, em crescimento de 3 pontos percentuais, comparativamente ao trimestre anterior. De igual forma, no setor das Tecnologias de Informação, Telecomunicações, Comunicação e Media, há uma projeção otimista de +33%. O setor das Outras Atividades de Produção apresenta uma Projeção de +32%, uma queda de 5 pontos percentuais face ao trimestre anterior.

Os setores da Restauração e Hotelaria e da Banca, Finanças, Seguros e Imobiliário apresentam Projeções de +31% e +25%, respetivamente, valores que decrescem em 7 e 18 pontos percentuais, respetivamente, quando comparados com o trimestre passado. A construção e s Outras Atividades de Serviços perspetivam também um aumento das suas equipas, com uma projeção de +23%, ainda que este último setor revele uma diminuição considerável de 16 pontos percentuais face ao trimestre anterior.

A Produção Primária e a Educação, Saúde, Trabalho Social e Governamental, são os setores com perspetivas menos otimistas, com +21% e +20%, respetivamente.

Grande Porto apresenta a projeção para a criação líquida de emprego mais ambiciosa

Em primeiro lugar, de destacar que todas as regiões de Portugal apresentam previsões favoráveis quanto à evolução das contratações no último trimestre de 2022. O Grande Porto é a região que apresenta a projeção para a Criação Líquida de Emprego mais robusta, com um valor de +40% – a única região com uma evolução positiva desde o último trimestre, com mais 3 pontos percentuais.

A sul, verifica-se uma projeção de +32%, que apesar de diminuir em 7 pontos percentuais face ao trimestre passado, representa o maior aumento relativamente ao período homólogo do ano passado, com uma variação de 24 pontos percentuais. Seguem-se as regiões Centro com +20%, e a Região Norte, com uma previsão de +18%, menos 7 pontos percentuais que no trimestre passado.

Grandes empresas mantêm as intenções de contratação mais acentuadas

Independentemente da sua dimensão, todas as categorias de empresas inquiridas perspetivam um aumento das contratações até ao final de 2022. Todavia, são as Grandes Empresas que avançam a perspetiva mais próspera relativamente às contratações, com uma projeção de +38%, o que representa um aumento moderado de 5 pontos percentuais face ao trimestre anterior. De seguida, as pequenas empresas e as Microempresas, com projeção de +30% e +26%, respetivamente, em relativa estabilidade face ao trimestre passado. As empresas de Média Dimensão e as Microempresas apresentam as perspetivas mais conservadoras, segundo o estudo, com uma Projeção sólida de +26% e + 25%, respetivamente.

Contratação a nível global

Apesar de as intenções de contratação a nível global terem sofrido uma redução, fixando-se em +30%, dos 41 países inquiridos no estudo, 39 apresentam perspetivas de contratação positivas. O Brasil, a Índia e a Costa Rica são os países que apresentam uma Projeção mais otimista, de +56%, +54% e +52%, respetivamente. Na Europa, de destacar a França e a Suécia com as intenções mais elevadas (+34%). Portugal é o quinto país da tabela. Hungria destaca-se com a projeção negativa de -5%, a previsão menos ambiciosa.