Habitação

Pandemia trava subida dos preços das casas no 2º trimestre

Ana Tavares |
Pandemia trava subida dos preços das casas no 2º trimestre

Confirma-se a desaceleração do ritmo de crescimento dos preços da habitação. Segundo os números do INE, tendo como referência os 24 municípios com mais de 100.000 habitantes, a taxa de variação homóloga desceu em 19 deles, incluindo as Áreas Metropolitanas, sendo esta tendência particularmente acentuada no Funchal (-15,8%), Gondomar (-15,5%), Maia (-9%) e Setúbal (-8%). Só em Santa Maria da Feira (7,8%), Guimarães (7,2%), Porto (3,1%), Seixal (2,7%) e Oeiras (1%) se registou uma aceleração do crescimento dos preços da habitação.

Neste trimestre, entre as NUTS III que registaram preços medianos de alojamentos familiares acima da média nacional estão o Algarve, com 1.807 euros/m², Área Metropolitana de Lisboa, com 1.601 euros/m², a Madeira, com 1.310 euros/m² e a Área Metropolitana do Porto, com 1.196 euros/m².

Só a Área Metropolitana de Lisboa registou uma subida homóloga superior à nacional, de 10,6%. Mas as maiores subidas dos preços registaram-se nas regiões das Beiras e Serra da Estrela (25,6%, Leiria (19,7%), Alentejo Central (19,5% e Trás-os-Montes (19,4%).

Já nos 12 meses terminados neste trimestre, o preço mediano dos alojamentos familiares em Portugal foi de 1.137 euros/m², mais 1,8% que no trimestre anterior e 10,3% que no trimestre homólogo. O preço mediano dos alojamentos novos e existentes variou entre os 1.234 e os 1.121 euros/m², respetivamente.

 

 

Preços descem em 5 freguesias de Lisboa

Nos últimos 12 meses terminados no 2º trimestre deste ano, os preços medianos da habitação em Lisboa fixaram-se nos 3.376 euros/m², mais 7% que no período homólogo.

Foram 5 as freguesias de Lisboa que registaram descidas homólogas dos preços da habitação.

Destaque para Campolide (-5,6%), Carnide (-0,9%), Avenidas Novas (-0,9%), Belém (-1,4%) e São Vicente (-2,7%). Também Beato, Olivais, Benfica, Marvila, Campolide, Carnide, Alcântara, Ajuda, Areeiro e São Vicente registaram preços e taxas de variação inferiores às da cidade de Lisboa.

Parque das Nações, Estrela, Santa Maria Maior, Alvalade, Santo António e São Domingos de Benfica registaram um preço mediano superior ao do valor da cidade de Lisboa, e taxas de variação mais expressivas que a verificada na cidade.

Os valores mais altos verificam-se em Santo António, com 5.550 euros/m² e em Santa Maria Maior, com 5.111 euros/m².

 

Porto regista variação de 8,1%

No trimestre em causa (também últimos 12 meses), o Porto registou um preço mediano de 1.905 euros/m², um aumento homólogo de 8,1%.

A União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e a União de freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos destacaram-se, entre as sete freguesias, por apresentarem, simultaneamente, um preço mediano (2.708 euros/m² e 2.354 euros/m², respetivamente) acima do valor da cidade do Porto.

No período em análise, e tal como no trimestre anterior, a freguesia de Campanhã registou o menor preço mediano (1.192 euros/m²). Paranhos destacou-se por apresentar a maior taxa de variação face ao período homólogo (+17,4%).