Estatísticas

NOVA IMS e Confidencial Imobiliário assinam protocolo de cooperação

Ana Tavares |
NOVA IMS e Confidencial Imobiliário assinam protocolo de cooperação

A Confidencial Imobiliário e a NOVA Information Management School, da Universidade Nova de Lisboa, assinaram um protocolo para promover a cooperação técnico-científica entre as duas organizações, com vista à promoção dos laços entre a academia e o mercado imobiliário.

Em comunicado, pode ler-se que «considerando a relevância crescente da área de Business Intelligence & Analytics no mercado, aliada à necessidade de promoção da aproximação entre o meio universitário e a realidade empresarial, a Confidencial Imobiliário e a NOVA IMS pretendem, através deste protocolo, potenciar o lançamento de novas ferramentas de previsão de venda no mercado residencial, assentes em soluções de “machine learning” e “data mining”, que permitam a produção de previsões de preços que reflitam a estrutura local de cada mercado».

Para Ricardo Guimarães, diretor da Ci, «a Confidencial Imobiliário tem uma posição única no panorama nacional, decorrente dos diversos sistemas de informação e bases de dados que lançámos no mercado, com destaque para o Sistema de Informação Residencial, que é a principal fonte de dados sobre preços reais de venda e de arrendamento de habitação. Através desta parceria com a Nova IMS, visamos potenciar os dados exclusivos que detemos, relativos a preços de venda georreferenciados ao código-postal, tirando partido das competências de analytics dessa instituição, dando azo a uma nova geração de ferramentas de intelligence para servir os operadores do mercado e para as cidades», explica.

«O intercâmbio entre o meio universitário e as empresas é um instrumento fundamental para promover uma melhor harmonia entre a oferta e a procura de emprego. As competências técnicas e científicas que a Nova IMS detém nos domínios da ciência de dados permitem-nos desenvolver os modelos de previsão que a Confidencial Imobiliário vai depois implementar no seu negócio, e munindo-se dos necessários recursos técnicos e científicos», adianta Miguel de Castro Neto, subdiretor da NOVA. «A ideia passa também por permitir aos nossos alunos resolver problemas da vida real, ao mesmo tempo que a própria escola também integra lógicas empresariais no seu currículo, algo que está alinhado com a nossa missão de preparar os nossos alunos da melhor forma para o mercado de trabalho», conclui.