“Nova dinâmica de mercado” vale à DS o seu “melhor ano de sempre”

Ana Tavares |
“Nova dinâmica de mercado” vale à DS o seu “melhor ano de sempre”

A DS fechouo ano com um crescimento na área de mediação imobiliária de 50% face ao ano anterior, e de 99% na área financeira, em termos de crédito escriturado. Já a área de mediação de obras e construção de imóveis registou um crescimento de 75%, bons resultados que fazem com que a empresa esteja «num processo de grande expansão nacional», explicou o responsável à VI, sem no entanto revelar valores ou número de agências a abrir em breve. 

A DS é especialmente ativa na área da compra e venda de imóveis, concessão de crédito ou construção e reabilitação de edifícios. «A maioria dos nossos clientes são portugueses interessados nas várias áreas em que atuamos, com especial destaque para a compra de casa, crédito bancário e seguros, mas também temos bastantes clientes interessados na construção de imóveis, nas obras de remodelação e na reabilitação de edifícios», explicou Paulo Abrantes.

Os clientes estrangeiros não são muitos, mas têm «um peso muito significativo nos resultados, tendo em conta que são investidores interessados em negócios com expressão, como seja a compra de casas de luxo, hotéis, imóveis com qualidade no centro das principais cidades do nosso país, como o Porto e Lisboa, bem como em edifícios para serem recuperados e reabilitados, para posterior venda ou arrendamento». 

O responsável nota que existe uma «nova dinâmica» no mercado, até porque, depois da quebra de preços no imobiliário «gerada pela crise económica e pela retração na concessão de crédito para aquisição de casa própria», hoje «esta situação está ultrapassada. A banca tem vindo a aumentar o volume de crédito à habitação concedido e a diminuir os respetivos spread's. Por outro lado, como o preço dos imóveis tem vindo a aumentar e tendo em conta que os depósitos bancários não geram praticamente nenhuma rentabilidade, muitas pessoas têm optado por investir as suas poupanças na compra de imóveis para segunda habitação e para arrendamento». 

Assim, no arranque do ano, Paulo Abrantes considera que «todos os sinais apontam para um novo ciclo e para uma recuperação do setor. Acreditamos que a banca vai continuar a aumentar o volume de crédito habitação concedido, com taxas cada vez mais competitivas, e o valor dos imóveis vai continuar a aumentar».

A empresa que opera com 112 lojas (entre DS e DS Seguros) no Norte, Centro e Sul do País, não se restringindo aos grandes centros urbanos ou às zonas mais turísticas, nota que «há efetivamente uma grande procura de imóveis no Porto, Lisboa e Algarve, mas curiosamente no caso da DS temos tido excelentes resultados um pouco por todo o país».

O que é certo é que a empresa tem «em curso um ambicioso plano de expansão que prevê a abertura de mais agências em todo o país, de forma a estarmos cada vez mais perto dos nossos clientes e da população em geral».