Escritórios

Escritórios em Lisboa com volume de absorção de 168.300m² até junho

Felipe Ribeiro |
Escritórios em Lisboa com volume de absorção de 168.300m² até junho

No primeiro semestre de 2022, o volume de absorção fixou-se nos 168.300 metros de quadrados, no que diz respeito aos espaços de escritórios na Grande Lisboa, distribuído por 105 operações.

É o que revela a Worx Real Estate Consultants, ao destacar um aumento dos níveis de procura efetivada no primeiro semestre, que ultrapassaram os valores verificados no final do ano passado, de 161.600 metros quadrados. Estes valores são «influenciados por algumas grandes operações, em parte de ocupação própria e outras contratualizadas mas mas cujas ocupações apenas se realizarão no futuro, como no caso de novas sedes e edificios que ainda não foram concluídos», de acordo com a consultora.

Por exemplo, a ocupação da futura sede da Fidelidade em Entrecampos, de aproximadamente 28.000 metros quadrados, e a aquisição do BNP Paribas de dois edifícios em construção no Parque das Nações com mais de 38.000 metros quadrados, foram as maiores operações de 2022 até ao momento. Zonas como o Parque das Nações (zona 5) e a Zona Emergente (zona 3) apresentaram grande parte da procura, 30% e 24% respetivamente.

Contexto atual

A tomada de decisão dos players do mercado imobiliário, face ao aumento dos custos de construção e a incerteza da disponibilidade e prazos de entrega dos materiais, vai ser influenciada. O planeamento e orçamento dos contratos de empreitada, face ao contexto citado, deverá ser efetuada com a máxima precaução por parte dos proprietários. Os impactos nos projetos de fit out levam a que as decisões de mudança de instalações sejam mais ponderadas por parte do arrendatários, que vão apostar mais nas renegociações dos contratos de arrendamento.

Mesmo com os problemas citados acima, juntando ainda o aumento da taxa de inflação e da taxa de juros, «Portugal mantém-se numa trajetória crescente com as suas excelentes características intrínsecas, em termos de segurança, bom clima e os salários baixos, a manterem a atratividade do país face aos mercados internacionais concorrentes mais do que nunca», indica a Worx.

Aposta na Sustentabilidade

A Sustentabilidade tem vindo a ganhar destaque no setor dos escritórios, que já representa 56% das certificações LEED aprovadas e 14% das certificações BREEAM concedidas, não havendo ainda edifícios com certificação WELL.

Os proprietários de edifícios de escritórios estão cada vez mais a apostar na obtenção das principais certificações de sustentabilidade desde o início dos projetos, de destacar a construção nova e os projetos de reabilitação.