Algarve

Loulé quer resolver problemas habitacionais de 1.400 famílias

Ana Tavares |
Loulé quer resolver problemas habitacionais de 1.400 famílias

É o que consta da estratégia local de habitação 2019-2030, apresentada na última sexta-feira, que já tem vários projetos em curso para apoiar o acesso à habitação das famílias, seja através da construção de habitação a custos controlados, da atribuição de subsídios ou do arrendamento apoiado e arrendamento acessível.

Neste sentido, na sexta-feira, a 23 de outubro, a Câmara de Loulé assinou com o Governo um protocolo que prevê um investimento total de 43,7 milhões de euros na criação de 320 novos fogos, no âmbito do Programa 1º Direito, numa cerimónia presidida pelo Primeiro Ministro, António Costa, e pelo ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos.

O IHRU vai comparticipar estas iniciativas com 15,4 milhões de euros. Está previsto um empréstimo bonificado de 25,5 milhões de euros, e os restantes 2,7 milhões serão financiados pela autarquia.

António Costa considera que o Algarve «é uma das regiões onde as políticas públicas de habitação são absolutamente centrais. É muito importante responder às carências de habitação para aqueles que cá vivem e para aqueles que é necessário atrair para cá virem morar. As dificuldades de acesso à habitação são o outro lado da moeda do sucesso do Algarve enquanto destino turístico», cita o Sul Informação.

Já Pedro Nuno Santos destaca que «o Algarve é uma das regiões mais afetadas no acesso à habitação. Quem vive cá, sabe das dificuldades. Loulé é mesmo um dos concelhos do país com maior dificuldade, com o preço que a habitação atingiu e isso só torna mais premente a necessidade da resposta pública a um problema que o país, em democracia, nem sempre soube responder».

O autarca Vítor Aleixo explica que, entre os projetos previstos, está a aquisição de 8 lotes de terreno na cidade para construir 128 fogos para arrendamento apoiado e acessível, bem como a aquisição de vários imóveis no centro histórico, que serão posteriormente reabilitados.

Destaque também para o desenvolvimento de 21 fogos em lotes municipais em Almancil, e para as negociações para aquisição de terrenos em Quarteira.

Está também prevista a reabilitação do Bairro Municipal Frederico Ulrich, com 48 fogos, e um novo projeto de moradias unifamiliares em Salir. As primeiras famílias deverão ser realojadas já no próximo ano, segundo o autarca, que é citado pela Lusa e pelo Observador..