JLL e CBRE responsáveis pela venda de portfólio à Värde

Ana Tavares |
JLL e CBRE responsáveis pela venda de portfólio à Värde

A JLL atuou em representação do vendedor, enquanto que a CBRE representou a Värde nesta operação. O negócio tinha já sido anunciado no último trimestre do ano passado, altura em que a Värde avançou que adquiriu os ativos avaliados em 186,6 milhões de euros. As consultoras revelam agora que se incluem no conjunto de imóveis o Edifício Adamastor, o Parque Suécia ou o Parque Holanda.

Fernando Ferreira, diretor de Capital Markets da JLL, afirma que «a qualidade da gestão do portfolio que se traduziu numa melhoria dos indicadores de performance da carteira, contribui largamente para o sucesso desta transação, tendo ficado claro, pelo interesse demonstrado por parte do mercado nesta transação, que o segmento de escritórios vai continuar em destaque em 2019».

Nuno Nunes, Diretor de Capital Markets da CBRE, destaca que «esta transação vem reforçar as previsões da CBRE que davam conta que o volume de investimento no mercado imobiliário continua bastante positivo. Os investidores consideram Portugal um país de oportunidades, com uma performance operacional ou potencial de crescimento acima da média, como é o caso desta carteira de ativos».

Com este negócio, a Värde reforça a sua presença no mercado português de escritórios. Francisco Milone, Partner e Head of European Real Estate da Värde Partners, comentou em novembro, aquando do anúncio do negócio, que «vamos executar a nossa estratégia de busca por oportunidades no mercado português, que atravessa um período de crescimento e recuperação da economia. Portugal é compatível com a nossa estratégia para o Sul da Europa».