Interesse na construção especulativa empresarial vai marcar este ano

Ana Tavares |
Interesse na construção especulativa empresarial vai marcar este ano

 

Esta é uma das previsões que a C&W faz no seu mais recente Marketbeat Portugal Primavera 2019, onde salienta a «continuidade do ciclo» do mercado de escritórios, que registou o segundo valor mais alto de sempre de ocupação em Lisboa no ano passado, e o mais elevado de sempre no Porto.

Este ano, manter-se-á «a dinâmica, e o mercado responderá com pré-arrendamentos e subida das rendas nas zonas com maior pressão. A construção especulativa de escritórios irá arrancar em zonas consolidadas de Lisboa e Porto, não apenas através de construção nova, mas também por via da reabilitação urbana», explica a consultora.

Por outro lado, aumenta também o interesse na construção especulativa de ativos industriais: «o e-commerce será cada vez mais uma realidade a impactar a evolução deste setor, com a procura muito influenciada pelo crescimento deste novo modelo de negócio». Este ano, a C&W prevê que se assista ao «avanço da construção especulativa de novos projetos, bem como à manutenção do forte interesse dos investidores estrangeiros em ativos logísticos».

 

Hotelaria ganha terreno no “investment basket”

A hotelaria portuguesa está também cada vez mais no radar dos investidores internacionais, depois de vários anos de consagração deste setor em Portugal, «assumindo um estatuto cada vez mais prioritário como classe de ativo para investimento».

 A C&W destaca que os recorrentes bons resultados dos indicadores de ocupação «motivam a disponibilidade de operadores para assumirem modelos de gestão asset light». E completa que «esta realidade, bem como a antevisão da entrada de novas fontes de capital através das novas SIGI, perspetivam um incremento dos ativos hoteleiros no investment basket nacional».