Europa terá 8 novos corredores logísticos nos próximos anos

Ana Tavares |
Europa terá 8 novos corredores logísticos nos próximos anos

 

Até 2030, deverão surgir na Europa 8 novos eixos logísticos, que marcarão a evolução do mercado logístico da região nos próximos 10 anos, calcula a Cushman & Wakefield no seu mais recente estudo “The Changing of Distribution: The Shape of Things to Come”. O Eurostat calcula que a procura de transportes de mercadorias na Europa Continental triplique entre 2010 e 2015.

Segundo a consultora, o forte crescimento expectável para os volumes de carga, o aumento dos custos de transporte, a falta de mão-de-obra e a congestionamento crescente nas estradas servirão também como motor de mudança. Todos estes fenómenos serão fortemente influenciados pelas expetativas de crescimento do comércio eletrónico e pelo impacto das novas tecnologias na atividade logística.

Na Península Ibérica, a disponibilidade de mão-de-obra qualificada e a custo competitivo está já a atrair as grandes marcas de automóveis alemãs. As novas linhas ferroviárias e o aparecimento de outras ligações de transporte fazem prever um aumento do volume de distribuição na região nos próximos 5 a 7 anos.

O corredor Banana Azul, que canaliza o comércio internacional para a Europa por via dos portos da zona do Benelux, através da Renânia alemã para o Norte de Itália, é o principal corredor de distribuição da Europa. A crescente importância dos portos do Mediterrâneo fará crescer este corredor para Génova, em Itália.

No Reino Unido, depois da conclusão do Brexit, quando as vias rodoviárias e ferroviárias deixarem de fazer parte do corredor Mar do Norte – Mar Mediterrâneo da Trans-European Transport Network (TEN-T), as cadeias de abastecimento serão cada vez mais focadas a nível local. É esperado que com o Brexit aumente a dependência logística nos portos do Reino Unido.

Já na Irlanda – Uma nova rota marítima está a desenvolver-se entre os portos de Cork e Dublin na Irlanda e os portos de Zeebrugge e Antuérpia na Bélgica.

Por outro lado, na Europa Central o desenvolvimento das rodo e ferrovias TEN-T melhorou a distribuição ao longo deste corredor. Com a sua possível extensão para o Norte de Itália, é expectável a sua ligação à “Banana Azul” através de Bolonha e Milão.

A distribuição ao longo do corredor do Mar do Norte, que liga Hamburgo com Copenhaga e Malmo, irá aumentar substancialmente com a conclusão da construção do túnel Rodby-Puttgarden em 2021. E, no Mar Negro, existirá um corredor ligado à “Banana Azul” assim que a rodovia e ferrovia TEN-T estiver completa entre Budapeste e o Mar Negro. Como resultado, o mercado Romeno terá um papel importante.

Nota ainda para o Báltico, que pode assumir uma importância crescente como localização fabril, e que vai depender da construção da auto estrada e ferrovia TEN-T que irão ligar esta região à Finlândia, Polónia, Republica Checa e Alemanha.