Escritórios

Escritórios em Lisboa com volume de absorção de 64.289 m² até maio

Felipe Ribeiro |
Escritórios em Lisboa com volume de absorção de 64.289 m² até maio

Nos primeiros cinco meses do ano, verificou-se um volume de absorção de 64.289 metros quadrados, num total de 86 operações, no que ao mercado de escritórios de Lisboa diz respeito.

A análise levada a cabo pela Savills, refere que a tendência de crescimento, que se vem a registar durante este ano, continua, sendo que os resultados assinalados nestes cinco primeiros meses encontram-se substancialmente acima dos registados no mesmo período de 2021 e 2020, o que atesta a recuperação a bom ritmo do mercado de escritórios de Lisboa. Os negócios com maior expressividade na capital foram a ocupação do Novo Banco no Corredor Oeste (zona 6), de 8.233 metros quadrados, e da SGS Portugal para o Polo Tecnológico de Lisboa (outras zonas) ocupando uma área de 4.163 metros quadrados.

Alexandra Portugal Gomes, Head of Research & Communications da Savills Portugal, frisa que «o mercado de escritórios de Lisboa mantém o sentido de crescimento. O mês de maio foi o terceiro melhor de 2022 em termos de absorção, estando 44% acima do resultado de 2019 e consideravelmente acima de 2020 e 2021. Considerando o período acumulado entre janeiro e maio dos últimos 3 anos, facilmente percebemos que a recuperação veio mesmo para ficar, muito alicerçada em operações de relocalização de empresas».

Em termos de volume de absorção por zona de mercado, lideram as zonas do Parque das Nações e Novas Zonas de Escritórios, com 33% e 26%, respetivamente. Na absorção por setor de atividade, os setores dos Serviços Financeiros e dos Serviços a Empresas foram responsáveis por 74%.

No que toca ao mercado de escritórios do Porto, registou um volume de absorção total de 23.524 metros quadrados até ao final de maio de 2022, com a conclusão de 32 negócios. Assim sendo, houve um reforço no desempenho face a período homólogo.

O mês de maio ultrapassou, em 1%, o resultado registado em abril, onde houve um volume de absorção 52%, apesar de ter registado um menor número de operações. Em termos de volume de absorção, de referir que as zonas Out of Town e CBD Baixa foram as mais ativas , correspondendo a cerca de 43% e 30%, respetivamente, do total do mercado. Os negócios com maior expressividade, foram as mudanças de instalações da Saltpay, correspondendo a 3.750 metros quadrados, e da Sodecia, ocupando mais de 1.324 metros quadrados.

Alexandra Portugal Gomes, Head of Research & Communications da Savills Portugal, sublinha também que «o mês de maio obteve um comportamento muito semelhante ao mês de abril, estando ainda sensivelmente acima, o que na generalidade concede um resultado muito positivo ao mercado de escritórios do Porto, reforçando o seu crescimento».