Arrendamento

Crescimento das rendas cai de 10% para 0,2% até junho

Ana Tavares |
Crescimento das rendas cai de 10% para 0,2% até junho

De acordo com o boletim agora divulgado pelo INE das Estatísticas de Rendas de Habitação, neste período o valor mediano das rendas dos novos 13.722 contratos (mais 4,8% face a 2019) atingiu os 5,41 euros/m² para o total do país.

O comportamento foi distinto nos vários pontos do país, nomeadamente nos 24 municípios com mais de 100.000 habitantes. 17 dos mesmos registaram uma descida da variação homóloga das rendas entre o 1º e o 2º trimestre do ano, com destaque para Setúbal (-20,2%), Almada (-17,0%), Matosinhos (-16,3%), Cascais (-15,7%), Lisboa (-10,1%) e Oeiras (-10,0%).

12 destes municípios registaram mesmo uma redução do valor mediano das rendas face ao 2º trimestre de 2019, nomeadamente Cascais (com uma variação de -10,1%), Lisboa (-6,4%), Porto (-1,1%) e Oeiras (-0,1%).

Nos 12 meses terminados em junho de 2020, pela primeira vez desde o início da série, em 2017, registou-se um aumento do número de novos contratos celebrados face a igual período do ano anterior, numa subida de 3,8%, para 74.088 contratos. Lisboa foi o município com mais contratos de arrendamento firmados, num total de 6.841 novos contratos celebrados nos 12 meses terminados em junho, mais 9,1% que no período homólogo.