Crédito

Crédito à habitação desacelera pela primeira vez desde outubro de 2020

Felipe Ribeiro |
Crédito à habitação desacelera pela primeira vez desde outubro de 2020

No mês de agosto, a concessão de crédito bancário para compra de casa abrandou, algo que não se sucedia desde outubro de 2020. É o que revelam os dados divulgados pelo Banco de Portugal esta terça-feira: o montante total de empréstimos para habitação era de 99,7 mil milhões de euros no final de agosto, mais 0,2 mil milhões de euros do que no final do mês precedente. Esta evolução registada assinala um crescimento de 4,6% face a agosto de 2021.

Em termos do montante de empréstimos concedidos pelos banca às empresas, o Banco de Portugal refere que «no final de agosto de 2022, o montante de empréstimos concedidos pelos bancos às empresas era de 76,4 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de 1,5% em relação a agosto de 2021. No mês anterior, o crescimento tinha sido de 1,6%».

A desaceleração foi mais expressiva nas pequenas e médias empresas e nas empresas dos setores das indústrias transformadoras e do alojamento e restauração. De destacar que, os empréstimos concedidos às grandes empresas e às empresas dos setores do comércio e transportes, aceleraram.

Os financiamentos ao consumo totalizavam 20,5 mil milhões de euros, mais 0,2 mil milhões de euros do que em julho, o que traduz um aumento de 5,9% face a agosto de 2021, indica o BdP. Os depósitos de particulares nos bancos residentes somavam, no final de agosto, 181,4 mil milhões de euros e os das empresas 64,8 mil milhões de euros. Os depósitos das empresas tiveram um aumento de 1,5 mil milhões de euros comparativamente a julho e cresceram 9,9% face a agosto de 2021.