Lisboa

Construção dos toscos da expansão do Metro de Lisboa em consulta pública

Ana Tavares |
Construção dos toscos da expansão do Metro de Lisboa em consulta pública

Desde esta terça-feira, dia 26 de janeiro, e até 15 de fevereiro, está aberto o período de consulta pública da avaliação de impacte ambiental da construção dos toscos da obra do prolongamento das linhas Amarela e Verde do Metro de Lisboa, entre a estação do Rato e o Cais do Sodré, que inclui o prolongamento entre o término da estação do Rato e o Tímpano Norte da Estação de Santos.

Esta obra é promovida pelo Metropolitano de Lisboa, e diz respeito ao “o Lote 1 – Prolongamento entre o Término da Estação do Rato e a Estação Santos (KM 0+000 ao KM 1+319,729)”, parte integrante da ligação entre as linhas Amarela e Verde, incluindo as novas ligações nos viadutos do Campo Grande.

Este troço passará pelas freguesias de Campo de Ourique e da Estrela e «em por base a aprovação em sede de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA n.º 3020), por Decisão Favorável Condicionada ao cumprimento dos termos e condições expressas na Declaração de Impacte Ambiental (DIA)». Serão construídas duas novas estações, Estrela e Santos.

Posteriormente, o Lote 2 deste prolongamento vai desenvolver-se entre Santos e o Cais do Sodré em túnel. O Lote 3 diz respeito à construção de dois viadutos no Campo Grande para completar o fecho desta nova linha circular do Metro.

Quando concluída a expansão, a linha Verde vai circular entre o Campo Grande e o Cais do Sodré (linha atual) e novamente em direção ao Campo Grande passando por Santos e Estrela, e usando o percurso da atual linha Amarela entre o Rato e o Campo Grande. A ligação a Odivelas será feita desde Telheiras, passando no Campo Grande, e será esta a nova linha amarela (Telheiras – Odivelas).

A consulta ficará em análise depois de 15 de fevereiro.