Centros comerciais europeus abrandam e atingem a maturidade

Ana Tavares |
Centros comerciais europeus abrandam e atingem a maturidade

 

Nos últimos 20 anos, abriu a cada ano uma média de 5,4 milhões de metros quadrados de novos centros comerciais na Europa. Em 2018 e 2019, o previsto é de 3,5 milhões, valor que representa a maturidade de vários mercados europeus e um aumento das compras online, que fazem decrescer a necessidade por este tipo de espaço. Há, no entanto, novas oportunidades de reabilitação de centros comerciais existentes, até porque 1/3 dos centros europeus tem mais de 20 anos.

Em Portugal, não foram inaugurados novos projetos este ano, e até ao final do ano espera-se um aumento da nova oferta de apenas 13.000 m², resultante da expansão do Oeiras Parque, da Mundicenter, e da inauguração de uma galeria comercial na Madeira, parte do Hotel Savoy. Não há novos projetos em pipeline, apenas as expansões do NorteShopping, do Centro Comercial Colombo, ou do Glicínias Plaza, em Aveiro.

No primeiro semestre deste ano, foram construídos na Europa Ocidental 373.000 m² de novos espaços comerciais, mais 8,2% face ao período homólogo, elevando o stock total para 108,8 milhões de m². No 2º semestre, deverão abrir mais 2,1 milhões de m², menos 25% face ao ano passado. O Reino Unido registou o maior volume de nova oferta comercial na região, com mais de 90.000 m² inaugurados até julho.

Segundo a C&W, a Europa Central e de Leste, ainda que seja um mercado menos maduro, retrata também um desacelerar na promoção de centros comerciais. No primeiro semestre foram construídos mais 676.000 m2, e espera-se a abertura de 4 milhões de metros quadrados até ao final de 2019, um decréscimo de 2,4% comparativamente com o período homólogo. Destaque para a Turquia, que inaugurou 358.000 m² inaugurados no 1º semestre do ano.