Habitação

Avaliação bancária sobe 8,3% para os 1.115 euros/m²

Ana Tavares |
Avaliação bancária sobe 8,3% para os 1.115 euros/m²

De acordo com a informação agora revelada pelo INE, o maior aumento mensal foi registado na região do Alentejo, de 3,9%. A única descida do valor de avaliação bancária foi registada na Área Metropolitana de Lisboa, numa quebra de 0,5%.

Já na comparação homóloga, a taxa de variação mais elevada registou-se nos Açores, com 12,9%, e a menor no Alentejo, com 5,8%.

O valor mediano de avaliação bancária para os apartamentos foi de 1.209 euros/m², mais 8,4% que no ano passado.  O valor mais elevado registou-se no Algarve, com 1.519 euros/m², e o mais baixo no Alentejo, com 867 euros/m².

Face ao mês anterior, o Algarve registou a maior subida, de 2,8%. Em termos homólogos, os Açores lideraram, com uma subida de 16,8%.

Já o valor mediano de avaliação bancária das moradias foi de 971 euros/m² em junho, mais 9,7% face ao mesmo mês do ano anterior. Os valores mais elevados registaram-se no Algarve, com 1.621 euros/m². Em Lisboa, o valor mediano das moradias fixou-se nos 1.483 euros/m².

O INE ressalva que o número de avaliações bancárias diminuiu «de forma acentuada» no período em análise, num total de 16.000 avaliações feitas em junho, menos 27,5% que em junho de 2019.