António Costa admite intervenção pública no imobiliário

Ana Tavares |
António Costa admite intervenção pública no imobiliário

O governante falava no final de um almoço com membros da Confederação do Comércio e Serviços, respondendo a uma questão sobre a especulação imobiliária, mostrando-se confiante que o mercado seja capaz de se ajustar e que regresse a uma situação de equilíbrio e de estabilidade contratual.

Admite que, se tal não acontecer, «teremos de ajudar o mercado a ajustar-se assim - e essa é uma das funções do poder público, do Estado e do poder político, que é ter uma função reguladora do mercado. Espero que o mercado se possa autorregular. Acho que além do mais há um dado fundamental, porque a elasticidade da procura é bastante inferior à elasticidade da especulação», citam a Lusa e o Negócios.

António Costa acredita que «ou proprietários moderam a sua ambição rentista, ou o problema não será só dos comerciantes, como também dos proprietários, que começarão a não ter procura para os preços que estão a solicitar. Temos de trabalhar para evitar que esses riscos se venham a consumar e, por outro lado, garantir que estamos nas melhores condições para os enfrentar».