Politécnico do Porto compra património de 11 milhões à Católica

Ana Tavares |
Politécnico do Porto compra património de 11 milhões à Católica

A despesa foi autorizada pelo Governo através de uma resolução do Conselho Ministros com data de 19 de setembro, segundo a qual os encargos serão «suportados por verbas do orçamento do IPP, estando assegurada a respetiva cobertura orçamental por receitas próprias».

Os dois imóveis situam-se na rua Arquiteto Lobão Vital, em Paranhos. Por um lado, o Politécnico vai pagar 1,725 milhões de euros por um prédio com dois pisos e 1.690 m² e 9,225 milhões pela aquisição do direito de superfície de um outro imóvel de 7 pisos e logradouro, com 3.472 m² de área coberta, cujo direito de solo é propriedade da autarquia.

A ideia é instalar aqui o novo centro de investigação, transferência de tecnologia e inovação PORTIC – Porto Research, Technology & Innovation Center, que vai juntar num único espaço quase todos os atuais 24 centros de investigação.

Na nota assinada pelo primeiro-ministro pode ler-se que «este centro, para além de permitir dotar os atuais centros de investigação de instalações definitivas e de acordo com as suas necessidades, permite ainda criar um ecossistema de conhecimento, ciência, transferência e reprodução em sintonia com as melhoras práticas internacionais».

Lê-se ainda que «a criação do PORTIC assume reconhecido interesse público, indo ao encontro da missão do Instituto Politécnico do Porto de contribuir para o desenvolvimento da investigação e transferência aplicada de tecnologia e de conhecimento e reforçando o compromisso com o desenvolvimento sustentável da região em que se insere, num quadro de referência internacional».

 

Foto: Rui Pinheiro IPP|GCI