Construção

Obras públicas de €3.000M prontas a avançar

Ana Tavares |
Obras públicas de €3.000M prontas a avançar

De acordo com as contas do Jornal Económico, feitas com informação de várias entidades públicas e privadas, estão incluídos neste pacote o projeto do novo aeroporto do Montijo. Está previsto um investimento de 1.150 milhões de euros, que inclui um investimento de 630 milhões para a modernização do aeroporto Humberto Delgado, assegurado pela ANA/Vinci, sem incluir as novas acessibilidades necessárias.

Ainda na última semana, o Primeiro Ministro, António Costa, avançou que, apesar das críticas das autarquias ao projeto e das incertezas geradas pela pandemia, a obra vai avançar.

As obras dos metros de Lisboa e Porto levam uma grande fatia deste investimento. Em breve, o Metropolitano de Lisboa deverá lançar o concurso público para construção do troço entre o Rato e o Cais do Sodré, num valor de 90 milhões de euros. Já o viaduto do Campo Grande deverá representar um investimento de 25 milhões de euros. Mais recentemente, o Metro de Lisboa adjudicou à Zagope a execução dos troços entre o término da estação do Rato e a estação de Santos, por 48 milhões de euros.

No Porto, serão lançadas as empreitadas do troço da linha circular, por 238 milhões de euros, e da linha amarela, por 130 milhões.

Por outro lado, serão construídos 3 projetos de novos hospitais para o país, num total de 670 milhões de euros. Incluem-se o novo hospital de Lisboa Oriental, no valor de 335 milhões, e da Madeira, que vai custar 205 milhões, além do novo hospital de Évora, num total de 130 milhões de euros.

Apesar de os dois primeiros estarem atrasados, segundo o jornal os respetivos processos de concurso público podem avançar a qualquer momento. E o do hospital de Évora já foi lançado, registando uma única candidatura, do grupo espanhol Acciona, com queixas de outros potenciais concorrentes.

Nota ainda para as obras a lançar em breve pela Infraestruturas de Portugal, que afirma ter em curso e previstas quatro obras de média e grande dimensão na linha da Beira Alta, num valor conjunto de cerca de 400 milhões de euros.

Segundo a mesma fonte, que cita Carlos Fernandes, vice-presidente da IP, grande parte do montante deste investimento em ferrovia respeita à linha da Beira Alta e à correspondência entre esta e a linha do Norte e aos portos de Leixões e de Aveiro (Corredor Internacional Norte).

Ainda no primeiro semestre, deverão ser lançados mais concursos relativos à linha do Oeste e à eletrificação da linha do Algarve e do Alentejo (64 milhões de euros). Para já, aguarda decisão o concurso para a modernização do troço da Pampilhosa (80 milhões de euros).

Entretanto, foi prorrogado o prazo de entrega de propostas para o concurso do ovo terminal de contentores do porto de Sines, uma obra estimada em 642 milhões de euros que pode arrancar ainda este ano.