Arrendamento

Multifamily: investidores mostram “apetite e compromisso”

Vanessa Sousa |
Multifamily: investidores mostram “apetite e compromisso”

Mas este grupo emergente de potenciais investidores no multifamily português deverá avançar «caso encontre o produto adequado» no país, alerta a consultora no seu mais recente relatório “Portugal Residential Market Performance & Outlook 2020”.

Embora ainda esteja a dar os primeiros passos em Portugal, já «começam a ser concebidos os primeiros projetos de build-to-rent, nomeadamente em Lisboa e no Porto», revela o documento.

A verdade é que o mercado residencial de arrendamento apresenta vários benefícios para os investidores como é o caso da estabilidade nas rendas no longo prazo, assegurada pelos níveis altos de ocupação, que têm ainda potencial para crescer dada a tamanha procura para a oferta existente que é estruturalmente escassa. Investir neste segmento é também numa oportunidade para os investidores diversificarem os seus portfólios em rendimento.

As características anticíclicas do multifamily são também um ponto a seu favor, já que evidenciam a sua resiliência a crises. A pandemia Covid-19 veio provar isso mesmo: «o surto causou uma inversão imediata do ciclo observado nos últimos anos com o aumento dos contratos de arrendamento e a estagnação do aumento das rendas», revela Joana Fonseca, Associate Director Strategic Advisory na CBRE. Para a responsável, «esta situação está correlacionada com um crescimento da oferta de arrendamento resultado da transferência de alguns alojamentos locais para o mercado tradicional de arrendamento e da anulação de diversos arrendamentos a estudantes».

Num momento em que «a aquisição de habitação é ainda mais restrita», o mercado de arrendamento pode «beneficiar de um aumento após a pandemia», sublinha Joana Fonseca. «Estamos confiantes na renovação do mercado residencial em Portugal, uma vez controlada a pandemia, visto que (…) os fundamentos do mercado permanecem robustos e ainda existe uma escassez significativa de habitação, tanto para venda como para arrendar», resume, destacando que «continuamos a testemunhar um alto nível de interesse por parte de promotores e investidores» neste sector.

Multifamily cresceu 10 vezes na Europa

Enquanto Portugal está ainda a dar os primeiros passos no investimento em multifamily, na Europa a aposta neste setor tem vindo a acelerar. «Na última década, o investimento multifamily em Europa cresceu 10 vezes, acompanhando a tendência nos EUA, onde a multifamily é uma indústria bem estabelecida, fornecendo soluções habitacionais eficientes e acessíveis com gestão profissional, bem como retornos de investimento interessantes», lê-se no documento.