Negócios

M7 vende imóvel comercial do Funchal à portuguesa Iberis Capital

Ana Tavares |
M7 vende imóvel comercial do Funchal à portuguesa Iberis Capital

A M7 Real Estate vendeu um imóvel comercial stand alone no Funchal, em representação do Portuguese Industrial Fund, à private equity portuguesa Iberis Capital. O valor do negócio não foi revelado.

Situado na capital da Madeira, este edifício tem um total de 2.500 metros quadrados e está totalmente arrendado à Hôma, marca especializada em decoração e artigos para o lar. David Pinheiro, Partner da Iberis Capital, afirma que «este ativo enquadra-se na estratégia de investimento dos yielding funds geridos pela Iberis, que privilegiam ativos com contratos de longo prazo e contrapartes sólidas, com foco nas áreas de retalho e serviços».

A M7 comprou este imóvel em 2020, quando fazia parte de um portfólio de vários ativos. Renegociou na altura o contrato com a Hôma por 15 anos, em contrapartida de um desconto temporário no valor da renda durante o ano de 2021, devido à pandemia. Na sua venda, agora anunciada, a M7 foi assessorada pela CBRE.

Eduardo Lopes, Senior Asset Manager da M7 Real Estate Portugal, comenta em comunicado que «num curto espaço de tempo, a M7 demonstrou a capacidade duma gestão de ativos eficaz, trabalhando ativamente com o inquilino durante a pandemia de forma a encontrar soluções que os permitisse apoiar neste período de incertezas e de confinamentos forçados, acrescentando valor ao fundo. O apoio foi prestado à Hôma através de um desconto de arrendamento temporário, em troca da prorrogação do contrato de arrendamento existente, que se aproximava do seu termo. Isto, permitiu criar um fluxo de renda longo e estabilizado que, naturalmente, aumentou a atratividade do ativo para potenciais compradores. O resultado superou as nossas expetativas iniciais para este projeto e gerou retornos atraentes para a joint venture».

Já Leonardo Peres, Managing Director da M7 Real Estate Portugal, destaca que «as alterações às regras do Golden Visa, que a partir de 1 de janeiro de 2022 excluem o investimento direto em imóveis na maioria das áreas urbanas de Portugal, tais como a Grande Lisboa e o Grande Porto, significam que os fundos imobiliários, que permitem aos investidores estrangeiros candidatarem-se ao regime Golden Visa, através de investimento indireto, estão a ser estabelecidos e cada vez mais ativos. Estamos, portanto, a assistir uma forte dinâmica em áreas até agora menos concorridas, que oferecem prémio de yields superiores, e contratos de arrendamento de médio a longo prazo».

De recordar que o Portuguese Industrial Fund se foca na aquisição de ativos logísticos e escritórios em Portugal, onde a M7 atua como asset e investment manager. É o segundo fundo da M7 no nosso país, num total de 153 milhões de euros sob gestão, juntamente com o fundo M7 Portuguese Active Fund “M7 PORAF”, com uma carteira de imóveis value-add, totalmente investido.