Lisboa regressa ao encontro dos investidores no MIPIM

Ana Tavares |
Lisboa regressa ao encontro dos investidores no MIPIM

A cidade volta a estar presente num stand coletivo da Invest Lisboa, que está à procura de empresas parceiras que queiram estar no espaço, com localização privilegiada junto à entrada da feira, que vai permitir «maior exposição, melhor localização, mais serviços para receber os investidores, como bar ou espaço para apresentações, além de custos mais baixos».

Durante o evento MIPIM Meet Up – Lisbon Diogo Ivo Cruz, da Invest Lisbon, que decorreu esta semana na Câmara de Comércio de Lisboa, explicou que «este ano, Lisboa é Capital Verde da Europa, e queremos refletir isso no stand - uma cidade com boa qualidade de vida, atrativa para as empresas».

Albert Castro, do MIPIM, salienta que Lisboa «é uma das cidades que mais crescem a nível de investimento imobiliário». A sua participação no MIPIM 2020 acontece numa altura em que o certame «vai ter uma área especial para promoção imobiliária, e muitos investidores procuram partners locais para investir em habitação também em Portugal. Lisboa terá o seu próprio stand, é a melhor maneira de visibilidade e conseguir mais contactos e reuniões na feira», conclui.

 

Câmara aposta na digitalização para acompanhar o mercado

A Câmara Municipal de Lisboa é um parceiro fundamental no que toca à promoção da competitividade da cidade lá fora. E Ricardo Veludo, vereador da CML, garante que o objetivo é «estarmos à altura do dinamismo económico da cidade».

Referindo-se aos pedidos de licenciamento, uma das principais queixas dos atores imobiliários, o autarca avança que «estamos a trabalhar nas pendências que temos», nomeadamente através de uma maior digitalização dos processos urbanísticos. Por outro lado, a câmara quer «ser mais transparente a nível das decisões dos processos, nomeadamente na comunicação com os requerentes».

«A transparência e a digitalização são pedidos antigos da APPII para Lisboa continuar a rivalizar com as outras cidades europeias, é uma urgência», comentou Hugo Santos Ferreira, vice-presidente executivo da APPII. Da mesma opinião é Pedro Vicente, Board Member da Habitat Invest, que considera que «temos de nos lembrar que não estamos sozinhos. Quando um investidor olha para Lisboa olha também para outras 20 cidades. Temos de ter sempre presente que estamos em competição».

Pedro Vicente comentou que os promotores «compreendem o percurso da autarquia», referindo-se à escassez de recursos humanos, mas defende que «tem de haver um compromisso importante para a salvaguarda da competitividade da cidade, e o licenciamento é questão central».

Hugo Santos Ferreira partilhou ainda que «gostaríamos de sentir disponibilidade por parte da câmara uma abertura para estudar os projetos em conjunto. Temos de acabar com esta “guerra” entre o público e o privado, todos trabalhamos para o mesmo».

Ricardo Veludo garante que a câmara «vê setor imobiliário numa ótica de parceria. Queremos uma cidade onde o setor privado continue a ser o principal protagonista da oferta de habitação», num contexto de profundo desequilíbrio entre oferta e procura que tem de ser trabalhado.

 

 

Realizando-se de 10 a 13 de março, o MIPIM 2020 segue este ano o mote “The Future is Human”. Espera 26.800 participantes e mais de 6.000 investidores imobiliários.