JPS e Albatroz investem €300 milhões no Royal Evolutee Óbidos

Susana Correia |
JPS e Albatroz investem €300 milhões no Royal Evolutee Óbidos

Ao abrigo desta joint-venture, o JPS Group uniu-se ao grupo Albatroz, detentor do projeto, assumindo a promoção da componente imobiliária do Evolutee Hotel – Royal Óbidos Spa and Golf Resort 5*, que prevê 600 novas unidades residenciais com vista para a lagoa, mar e golfe - as designadas Royal Evolutee Villas and Apartments.

Neste «condomínio exclusivo», os residentes do Royal Evolutee Villas & Apartaments poderão usufruir de piscinas privativas e dos vários serviços da «unidade hoteleira de cinco estrelas», incluindo o club house, a piscina exterior de horizonte infinito, o ginásio e o Spa. O campo de golfe desenhado por Severiano Ballesteros – considerado um dos melhores do país, e onde terá lugar o Portugal Open 2020 – é outra das valências disponíveis.

Com preços a arrancar nos 670.000 euros e que vão até pouco mais de um milhão de euros, a comercialização das primeiras 44 moradias já arrancou, com os lotes de terreno mais pequenos a rondarem os 1.000 m² cada. Até à data tinham já sido vendidas dez destas unidades.

Nesta primeira fase, também estarão disponíveis para venda os apartamentos turísticos, disponíveis nas tipologias T1 e T0 com entradas independentes, permitindo maximizar a sua rentabilidade, e cuja obra deverá ficar concluída em março de 2020. O JPS Group garante uma yield de 5% o que, diz em comunicado, «torna este produto extremamente atrativo».

«Nós propomos o expoente máximo do luxo, a preços considerados acessíveis para o segmento em causa», diz o CEO do JPS Group, João Sousa, sublinhando que «quem quer e pode pagar pelo luxo, também olha para as boas oportunidades e para os preços reais do mercado». E, «como os preços são bastante acessíveis para o segmento, é importante ter um grande rigor e critério nas vendas».

O Royal Evolutee Villas & Apartaments «é um condomínio fantástico e de sonho posicionado no segmento de luxo», afirma João Sousa, esclarecendo que se destina «para portugueses e para estrangeiros que pretendam viver e ou investir em Portugal». Por tudo isto, conclui, «estamos certos de que será mais um sucesso de vendas».