Investimento em Portugal cresce em contraciclo com a Europa

Ana Tavares |
Investimento em Portugal cresce em contraciclo com a Europa

Se é a capital que mais atrai as atenções dos investidores, a sua elevada liquidez e a atratividade dos retornos oferecidos tem levado a um alargamento da procura a outras zonas do país, nomeadamente o Porto, sendo que a grande maioria do investimento feito no nosso país continua a ser estrangeiro, nomeadamente proveniente da Alemanha ou do Reino Unido.

Esta é uma das principais conclusões do recentemente publicado “Winning in Growth Cities”, da Cushman & Wakefield. Andreia Almeida, Diretora de Research na consultora em Portugal, comenta que «embora com uma maior tendência para a estabilização em consequência da provável desaceleração da economia mundial, as perspetivas para a evolução do investimento imobiliário em Portugal são positivas. Dada a diversidade de produto imobiliário que atualmente se encontra em oferta no país, este consegue atrair todo o tipo de investidores, desde oportunistas a especializados, com os setores de retalho e escritórios a continuarem entre os mais procurados».

E aponta que «à semelhança do que tem vindo a verificar-se em 2019 com a hotelaria, antecipa-se que o radar dos investidores continue a alargar para segmentos alternativos por via da maior maturidade do mercado».

A tendência global é de estabilização. Entre junho de 2018 e junho de 2019 foram investidos 1,02 biliões de dólares no imobiliário comercial em todo o mundo, uma quebra de 0,7% face a igual período do ano anterior. A Europa registou no período analisado um decréscimo do investimento na ordem dos 12% (tal como a Ásia).

Mas, segundo a C&W, a procura manteve-se em níveis recorde, com os investidores nacionais e regionais a impulsionar a atividade. São os preços elevados e a escassez de produto que justificam o abrandamento da atividade de investimento, pois de um modo geral, os investidores mostram-se pouco dispostos a entrar em mercados com maior risco ou a subir os valores da oferta, tendo em conta a incerteza na evolução das taxas de juro e do contexto económico.

A Europa soma cinco cidades no top 25 das cidades que mais investimento atraem – lista que é liderada por Nova Iorque, Los Angeles e São Francisco - nomeadamente Londres (4ª) e Paris (5ª). Madrid registou o crescimento mais célere no âmbito europeu, com os volumes de investimento a crescerem 144%, ocupando o 21º lugar a nível global e o 3º na Europa.