Investimento cresce 35% em Portugal

Ana Tavares |
Investimento cresce 35% em Portugal

 

O volume total de investimento na Europa ultrapassou os 97.000 milhões de euros, 5% abaixo do valor registado em igual período do ano passado, mas ainda 42% acima da média dos últimos 10 anos. Metade deste volume de investimento diz respeito a capital estrangeiro.

A Holanda e a Polónia tiveram especial destaque, com um crescimento anual de 176% e 100%, respetivamente, seguidas pela Irlanda, com uma subida de 94%, e por Portugal.

Embora os volumes de investimento do primeiro semestre de 2018 estejam ligeiramente abaixo relativamente a 2017 no Reino Unido (-9%) e na Alemanha (-7%), na França aumentaram 27% comparativamente com o primeiro semestre de 2017 devido às eleições presidenciais. Os desenvolvimentos urbanos a nível de infraestruturas necessários para o projeto Grand Paris e para os Jogos Olímpicos de 2024, assim como um panorama político mais favorável, são sinais positivos que estão a atrair investidores para França, mais particularmente para a região de Paris.

A procura no setor dos escritórios mantém-se alta, e este continuará a ser o setor preferido dos investidores nos próximos 12 meses, segundo a consultora. As taxas de disponibilidade mantêm-se extremamente baixas em todas as principais cidades europeias (Lisboa e Porto não são exceção) e os terrenos são ainda suficientes para responder à procura. A yield média para escritórios não CBD está atualmente nos 4.9%, abaixo da média de escritórios em zonas CBD secundárias (5%), refletindo a forte procura dos investidores por ativos de primeira linha, também fora da zona CBD. A procura logística, no entanto, deverá continuar a crescer significativamente.

Marcus Lemli, Diretor de Investimento Europeu da Savills, explica em comunicado que «estamos a assistir a uma desaceleração da dinâmica de mercado na Europa mas, ao mesmo tempo, os indicadores permanecem positivos apesar dos riscos políticos. Assim, acreditamos que o ciclo atual pode manter-se durante algum tempo. O interesse dos investidores internacionais e domésticos no setor imobiliário europeu mantém-se elevado e esperamos que o volume de investimento comercial em 2018 esteja amplamente em consonância com o ano anterior».

Lydia Brissy, Diretora de Research Europeu da Savills, acrescenta ainda que «a maioria dos investidores na Europa ainda está à procura de ativos seguros em localizações privilegiadas em todos os setores mas cada vez mais são forçados a aumentar a sua curva de risco. Uma vez que a logística está a tornar-se parte integrante de estratégias bem-sucedidas no retalho multicanal, a procura por ativos logísticos está a aumentar, enquanto os investidores restringem a sua exposição no setor de retalho tradicional a locais ultra-prime que cimentam acordos sólidos».