Escritórios

Investidores antecipam subidas das yields nos escritórios e retalho

Ana Tavares |
Investidores antecipam subidas das yields nos escritórios e retalho

Está é uma das principais conclusões do mais recente estudo da JLL denominado “A Perspetiva do Investidor na Análise pré e pós-Covid19”, que procurou compreender a perspetiva dos investidores relativamente aos possíveis impactos da pandemia no imobiliário de retalho e escritórios enquanto ativos de investimento.

«Se este sentimento de otimismo continuar a predominar entre os investidores é uma prova cabal da atratividade de Portugal enquanto destino de investimento, o que é especialmente importante numa altura em que a pandemia impôs um travão global aos mercados e em que os níveis de liquidez dos investidores continuam elevados. Num contexto de regresso à normalidade, todos os mercados vão querer ir a jogo para captar uma fatia dessa liquidez e acredito que Portugal vai estar extremamente bem posicionado», defende Fernando Ferreira, Head of Capital Markets da JLL.

Ainda assim, a incerteza trazida pela atual pandemia associada a uma expectativa de ajustamento em baixa das rendas, faz antecipar uma subida das yields em ambos os segmentos. Cerca de 73% dos investidores acredita que as yields dos escritórios irão aumentar no curto-prazo, enquanto que no retalho essa é a opinião de 69% dos inquiridos.

Note-se que só no primeiro trimestre de 2020, os escritórios atraíram cerca de 247 milhões de euros de investimento (17% do total) e o retalho 798 milhões de euros (55% do total).

 

Recorde a participação de Pedro Lancastre, CEO da JLL Portugal, no Conversas Diárias - Especial Covid-19.