Escritórios

Grupo SIL e Bedrock Capital fecham negócio de terrenos de Alcântara

Ana Tavares |
Grupo SIL e Bedrock Capital fecham negócio de terrenos de Alcântara

A informação foi confirmada pela Vida Imobiliária junto das duas partes que, contudo, não revelaram o valor envolvido no negócio.

Atuando em representação de um familiy office português, a Bedrock Capital Partners comprou ao Grupo SIL os dois lotes para a construção de escritórios que integram o seu projeto de Alcântara. Nesses, e fruto de um investimento superior a 100 milhões de euros, irão nascer dois edifícios de escritórios que somam uma área bruta de construção acima de solo de 40.000 m², além de 681 novos lugares de estacionamento. Erguendo-se por sete pisos acima do solo, cada um dos edifícios contará com uma área bruta locável média de 2.600 m² por piso, «que permitem uma ocupação muito flexível», adianta o comprador.

Em declarações à VI, fonte oficial da Bedrock Capital Partners, confirma que este foi o primeiro deal da gestora de ativos imobiliários nacional, adiantando que o objetivo do seu cliente é, depois da construção dos edifícios de escritórios, «a sua detenção como ativo de rendimento».

Salientando que «esta operação permite tornar realidade um projeto emblemático na cidade de Lisboa, localizado numa zona premium e trendy, em plena frente de Tejo», a Bedrock Capital Partners reconhece que «para a decisão de aquisição foi determinante o adiante estado de desenvolvimento do projeto, devendo a obra iniciar-se no primeiro quadrimestre de 2020 e estar concluída no final de 2022». Além de assessora na transação, a sociedade atuará também como gestora de todo o projeto.

Consultado pela VI, o CEO do Grupo SIL, Pedro Silveira, explicou que «no que respeita à habitação, iremos promover nós». Somando 28.192 m² distribuídos por outros dois blocos edificados, o núcleo habitacional irá criar um conjunto de aproximadamente 270 novos apartamentos, cujas obras deverão arrancar muito em breve, diz ainda Pedro Silveira. «Pensamos conseguir licenças de construção em abril e arrancar ainda nesse mês ou em maio com a obra da primeira fase dos apartamentos».

Mesmo ao lado da LX Factory, nos terrenos da antiga fábrica da SIDUL, este é um projeto estruturante para a zona de Alcântara, e que vai reabilitar profundamente uma área urbana da cidade superior a 20 hectares. Cumprindo uma ambição antiga do promotor português  irá criar uma centralidade de 74.000 m² de escritórios e habitação, e tem vindo a ser preparado pelo Grupo SIL há mais de 20 anos, desde que adquiriu aquele local.