Exponor reforça investimento em práticas sustentáveis

Susana Correia |
Exponor reforça investimento em práticas sustentáveis

Em comunicado, a Exponor informa que está a investir mais de 65.000 em boas práticas de sustentabilidade, nomeadamente numa nova política de eficiência energética e aproveitamento de águas que visa uma redução significativa do impacto ambiental e, ao mesmo tempo, a melhoria da performance financeira da empresa.

O maior parque de exposições em território português, a Exponor leva já 30 anos de atividade e estende-se por cerca de 200.000 m², divididos em seis pavilhões, um auditório com capacidade para 945 pessoas e mais de 5.000 m² de galerias e salas polivalentes.

Com o objetivo de diminuir a sua pegada ecológica, uma das medidas passa, precisamente, por otimizar a eficiência energética. Algo que passará pela substituição de todas as armaduras e candeeiros antigos que darão lugar a lâmpadas LED, permitindo a diminuição do consumo energético em 10 vezes e melhoria da performance financeira do recinto.

Simultaneamente, a Exponor tem em curso um projeto de aproveitamento das águas naturais, através da captação em poços de água subterrâneos, bem como implementação de boas práticas como colocação de bombas nos furos de água já existentes; canalização de água de nascente para as centrais do empreendimento; análise, em tempo real, da qualidade da água e ainda aproveitamento de água natural para o consumo humano e exterior.

Diogo Barbosa, Diretor-geral da Exponor, explica que estas medidas «estão alinhadas com o compromisso da empresa em desenvolver uma política de gestão mais eficiente a todos os níveis, o que permitirá um crescimento mais sustentado e sustentável do negócio. Tendo em conta que recebemos, anualmente, mais de 30 feiras especializadas e centenas de eventos de variadas dimensões e tipologias, pretendemos também liderar pelo exemplo e contribuir para a adoção de boas práticas pelos nossos parceiros e expositores».

Em 2018, a Exponor registou um volume de faturação de 8,1 milhões de euros, num crescimento de 5% face ao ano anterior.