Estrangeiros investiram €343,9 milhões em habitação em Lisboa até junho

Ana Tavares |
Estrangeiros investiram €343,9 milhões em habitação em Lisboa até junho

De acordo com o SIR-Reabilitação Urbana, apurado pela Confidencial Imobiliário, os estrangeiros pesam já cerca de 34% no total do investimento feito por particulares em habitação na ARU de Lisboa, que ascendeu a 1.020 milhões de euros no primeiro semestre deste ano. Trata-se de um crescimento de 10% face aos 311,8 milhões investidos por estrangeiros no primeiro semestre do ano passado, apesar de se observar também uma descida de 10% face ao segundo semestre do ano passado.

Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, comenta estes resultados, afirmando que «o investimento internacional em habitação continua muito robusto e dá continuidade à forte dinâmica do ano passado, quando se atingiu um patamar inédito de 694,3 milhões de euros. Nos dois anos anteriores, tal atividade situou-se entre os 300 e os 375 milhões anuais, ou seja, transacionando-se por ano praticamente o que se está a transacionar atualmente por semestre».

E destaca que «outro indicador do forte interesse dos estrangeiros por Lisboa é o aumento do ticket médio por operação, que passou de 393.200l (1º sem. 2018) para os atuais 453.000 euros, ficando 46% acima do ticket dos nacionais, que se manteve praticamente inalterado em torno dos 306.000 euros».

No período analisado, os investidores estrangeiros eram oriundos de 70 nacionalidades, com destaque para os franceses, que representam 21% do investimento internacional, chineses (14%), brasileiros (8%), americanos (5%) e do Reino Unido (5%). África do Sul, Turquia, Índia, Itália, Alemanha, Suécia, Vietname e Bélgica têm também quotas acima dos 3%.

 

Misericórdia e Santa Maria Maior concentram maioria do investimento

Misericórdia e Santa Maria Maior foram os principais destinos do investimento estrangeiro na ARU de Lisboa, concentrando 55,5 e 54,9 milhões de euros até junho, respetivamente.

Estas duas freguesias concentram mesmo 54% e 80% de todo o investimento em habitação no semestre, respetivamente.

Santo António concentra ainda uma quota de 12% do total e 42,8 milhões de euros investidos, e Arroios 11%, somando os 38,3 milhões. Segundo a Ci, nestas freguesias o investimento internacional pesa 48% e 47%, respetivamente.

Mas cresce o interesse noutras zonas da cidade, como a Ajuda, Benfica, Carnide, Campolide ou Areeiro, que registaram crescimentos no investimento estrangeiro entre 70% e 165% face a igual período de 2018.