Dona do Yotel aposta no co-living em Portugal

Ana Tavares |
Dona do Yotel aposta no co-living em Portugal

 

O anúncio foi feito por Gerard Freene, Founder & CEO do Yotel e da Society, durante a conferência “Global brands, tourism destinations and real estate market”, organizada pela Essentia esta 5ª feira em Lisboa, sem, no entanto, avançar mais pormenores sobre o projeto.

«Temos uma proposta para melhorar o mercado do arrendamento habitacional, criando uma comunidade vibrante», através da implementação dos «serviços hoteleiros na casa onde as pessoas vivem o seu dia-a-dia». Este primeiro projeto português deverá surgir em Lisboa, onde a experiência da empresa tem sido «fantástica», uma cidade «hospitaleita e apaixonada».

O responsável explica que a Society «opera produtos de co-living com serviço hoteleiro, juntando pessoas que vivem em comunidade e partilham os mesmos valores». Estes projetos podem beneficiar de serviços como dog walking, babysitting, canalizador, ou manutenção, todos eles acessíveis através de uma app própria, numa lógica de sharing economy.

Tanto no setor hoteleiro como no residencial, Gerard Greene acredita que há espaço para todos os tipos  de serviços, e que a chave está na hospitalidade e nas pessoas: «quem não investir nas pessoas, terá mais a perder».

 

Primeiro Yotel abre em 2019

Entretanto, o primeiro Yotel vai surgir em 2019 no Porto, fruto de um investimento de 30 milhões de euros.

Com 147 quartos, a nova unidade vai abrir na Rua Gonçalo Cristóvão, no centro do Porto, com sky bar, terraço ou rooftop. A possibilidade de fazer check in sem chave ou o check out em quiosques de atendimento serão algumas das inovações desta unidade.