Ceetrus e The Edge Group avançam com projeto de €80M em Carnaxide

Ana Tavares |
Ceetrus e The Edge Group avançam com projeto de €80M em Carnaxide

 

No terreno já detido pelo The Edge Group há alguns anos, junto ao nó da A5 em Linda-a-Velha, vão surgir dois edifícios de escritórios, um deles horizontal e uma torre, além de um hotel Marriott de 4 estrelas e 110 quartos, espaços verdes, comércio e uma praça para eventos, num total de 38.000 m² construídos, 32.000 m² dos quais escritórios. O projeto pretende ser «um novo centro de vida», voltado para a criação de uma comunidade, além de responder às «novas formas de trabalhar», com espaços que «têm de ser cada vez mais espaços de relação, de produtividade e bem-estar», notou na apresentação do projeto José Luís Pinto Basto, do The Edge Group.

«A oportunidade deste projeto surge com a escassez de escritórios, e depois de muitos projetos terem parado durante a crise», explica o responsável. «Esta é uma zona de escritórios que tem crescido muito, e os preços aqui são mais competitivos, mantendo a acessibilidade ao centro de Lisboa».

A tecnologia e a sustentabilidade estão bem patentes neste projeto, que terá classificação BREEAM, além do bem estar. Por isso, terá mais de 7.400 m² de áreas verdes, e grande aproveitamento das coberturas dos edifícios para áreas comuns. A ideia é proporcionar «uma nova forma de usufruir do espaço de trabalho com muitos espaços comuns», salienta Mário Costa, da Ceetrus, antiga Immochan, que alargou a sua atividade a todos os ramos do imobiliário a nível global. «Este é um projeto virado para o exterior, não só para quem trabalha lá. Vamos também ter uma programação de eventos, para que esta seja uma nova praça da região».

Este projeto prevê ainda a construção de um túnel «essencial» por baixo da «rotunda mais problemática» nos acessos à auto-estrada, totalmente a cargo da parceria, num valor de 3,5 milhões de euros (incluídos no “bolo” total de 80 milhões de euros), que vai «minimizar os impactos do trânsito na A5». Está prevista a criação de 1.100 lugares de estacionamento, parte deles públicos. Além disso, os promotores estão em contacto com a autarquia e com os operadores de transporte da região para a melhoria destas acessibilidades.

Com o arranque das obras previsto para o 2º semestre deste ano, o CINCO District deverá ser inaugurado em 2021.

 

Interessados não faltam

José Luís Pinto Basto afirma estar otimista quanto à ocupação do projeto, que deverá «abrir com 100% de ocupação. Estamos confiantes na comercialização».

Prova disso é que «já temos vários interessados», nomeadamente empresas de média e grande dimensão, que «valorizam a atração e retenção de talento. Cada vez mais estas empresas procuram este tipo de ecossistemas».

A JLL e a Worx estão mandatadas para a comercialização deste projeto. Mariana Rosa, da JLL, explica que há «muitos interessados me entrar em Lisboa ou em expandir as suas instalações atuais». Pedro Salema Garção, da Worx, destaca que «temos a possibilidade de contratos de pré-arrendamento de 2 anos, e grandes empresas que procurem grandes áreas são o nosso foco», lembrando ainda que «este será o único novo projeto de escritórios a inaugurar em 2021».