APEMIP: Alterações ao RRNH podem desviar procura para outros países

Ana Tavares |
APEMIP: Alterações ao RRNH podem desviar procura para outros países

De acordo com o noticiado recentemente pelo Expresso, o PS deverá apresentar durante o debate na especialidade do Orçamento de Estado para 2020 uma medida que visa a cobrança de 10% de IRS a estes beneficiários, num mínimo de importo de 7.500 euros por ano. Luís Lima, presidente da APEMIP, considera que «ceder às demonstrações de desagrado reveladas por outros países europeus sobre o nosso programa parece-me um absurdo, sobretudo quando no mesmo panorama temos países como Espanha, Irlanda ou Itália, com mecanismos muito semelhantes, que acabarão decerto por absorver o investimento que, com estas medidas, deixará de entrar no país».

O responsável acredita que deve ser incentivada a oferta, e não travada a procura, numa altura em que é difícil o acesso à habitação: «importa que sejam tomadas medidas efetivas para aumentar a oferta, e não para travar a procura existente. O sinal que se dá ao exterior é de que o País já não precisa de investimento». E conclui que «só aumentando a oferta se poderá resolver os problemas do mercado. Por outro lado, agir para travar a procura, é um crime de lesa-pátria, cujas consequências não estão a ser devidamente avaliadas».