Porto acolhe a primeira residência de estudantes da Syllabus em Portugal

Vanessa Sousa |
Porto acolhe a primeira residência de estudantes da Syllabus em Portugal

E esta não deverá ser a única unidade da filial da espanhola Urbania no país, já que «várias oportunidades» estão a ser estudadas em Lisboa e também no Porto, revela Jeffrey Sújar, CEO de Syllabus, em entrevista ao diário espanhol Eje Prime. Embora a avaliação destes futuros investimentos esteja em fase preliminar, já há a expectativa de «fechar novas operações em 2020» no mercado português. 

À nova residência em território luso somam-se outras 8 que deverão ser desenvolvidas nas principais cidades espanholas: Madrid (2), Valência (1), Málaga (1), Pamplona (1), Sevilla(1), Salamanca (1), e ainda outra cidade que ficou por revelar.

Estas novas unidades, juntas, disponibilizarão aos estudantes ibéricos mais 3.000 camas até 2021. O investimento nestes projetos ronda os 150 milhões de euros, mas não deverá ser suportado unicamente por Syllabus, já que, no início do ano, a empresa chegou a acordo com a gestora de ativos norte-americana Invesco para apostar até 250 milhões neste segmento alternativo, que agora se encontra em ascensão nos países ibéricos.

Entrar no mercado italiano é também um dos objetivos da Syllabus, que, contudo, tem encontrado alguns entraves pelo caminho. Para Jeffrey Sújar, o processo é «muito burocrático, lento e pouco claro, sendo difícil saber qual é o ponto da situação».