Schmitt + Sohn

Schmitt+Sohn permite chamar o elevador sem carregar no botão

Ana Tavares |
Schmitt+Sohn permite chamar o elevador sem carregar no botão

A nova solução Be Safe Touchless by S+ foi desenvolvida em conjunto com um parceiro tecnológico, e permite que os utilizadores comandem o elevador a partir do seu smartphone pessoal. A marcação dos botões é efetuada a partir de uma aplicação gratuita disponível para iOS e Android.

Miguel Franco, administrador da empresa, explica que «este sistema vai permitir eliminar o risco de contágio de vírus, bactérias e outros microrganismos, por prescindir da utilização do botão físico de chamada e envio do elevador. De forma simples, com uma aplicação de uso intuitivo e rápido, anulamos a necessidade de contacto dos utilizadores com a superfície destes equipamentos de mobilidade, que são cruciais para o bom funcionamento dos edifícios. Além disso, esta solução permite controlar o acesso dos utilizadores a determinados pisos e restringir a utilização dos elevadores em determinados períodos de tempo».

O responsável comenta ainda que «como sociedade e como atores económicos, estamos todos a retomar o quotidiano. Isso vai implicar voltarmos a utilizar, com maior intensidade e frequência, os edifícios de trabalho, de serviços, de saúde, de retalho, além claro da habitação. Os elevadores, escadas mecânicas e tapetes rolantes são uma parte absolutamente crucial para este regresso, sendo claro que são também pontos de contacto intenso de milhares de pessoas e, portanto, com elevado potencial de contágio».

Tendo isto em mente e com os olhos no futuro, «e não apenas numa situação de prevenção deste vírus em concreto, desenvolvemos o Be Safe by S+, um leque de soluções desenhado para dar resposta aos desafios de saúde que emergiram com este vírus, mas que serão centrais para o futuro das cidades».

As soluções Be Safe, que incluem intervenções de higienização e desinfeção, por ozonização ou ultravioleta, têm como objetivo garantir a segurança de utilização dos equipamentos de transporte vertical e transformar estes mesmos equipamentos em agentes ativos de prevenção.

«Investir nestes sistemas irá permitir garantir níveis máximos de segurança e higiene na utilização de equipamentos de mobilidade vertical, de forma prática e eficiente, algo que traz não só ganhos diretos na saúde das pessoas como é também um motivador para a adoção de novos comportamentos, como uma nova etiqueta de uso dos elevadores que se impõe daqui para a frente», conclui Miguel Franco.