PREÇO DAS CASAS SOBE 6,2% NO 1º TRIMESTRE

Ana Tavares |
PREÇO DAS CASAS SOBE 6,2% NO 1º TRIMESTRE

 

No período analisado, apenas 15 (5%) dos 278 concelhos de Portugal Continental apresentaram uma descida do preço das casas face ao 1º trimestre de 2016, o que mostra que a valorização do imobiliário residencial é transversal à quase totalidade do território. De notar que no 4º trimestre de 2015 eram 236 os concelhos que apresentavam descidas de preços face ao mesmo período do ano anterior (85%).

A Grande Lisboa e o Algarve destacam-se no Índice com subidas homólogas superiores a 15%. Lisboa e Cascais registaram valorizações de, respetivamente, 24,3% e 18,3%. Oeiras regista uma subida de 13,6%.

No Algarve, Lagoa, Loulé e Faro foram os que mais cresceram em termos de preços, com variações entre 15,3% e 26,7%. E no Grande Porto apenas o concelho do Porto registou uma subida de 3,3% face ao período homólogo, por oposição a Gaia e Matosinhos com recuos de 3,9% e 4,2%, respetivamente.

Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, comenta que «estes dados mostram que a generalização geográfica da tendência de subida de preços das casas, apesar de ser expectável, só recentemente se confirmou. Até agora, o mercado apresentava um comportamento assimétrico dos centros históricos de Lisboa e Porto e do Algarve, impulsionados pela procura internacional e turismo; face às restantes localizações dominadas pela procura residencial tradicional».

Este responsável destaca que «no decurso de 2016, esta realidade começou a mudar, sobretudo devido à retoma do crédito hipotecário, que só em março deste ano atingiu os €720 milhões de novos empréstimos concedidos, ou seja cinco vezes mais do que em fevereiro de 2013. O crescimento de construção nova também está a impulsionar esta valorização mais generalizada», aponta.